No último jogo para o campeonato, o Sporting deslocou-se a Portimão numa difícil visita, onde no ano passado o clube leonino perdeu por 4-2. Contudo, Marcel Keizer decidiu mudar a equipa em relação ao último jogo em Alvalade e decidiu introduzir Luciano Vietto no lugar de Diaby e os resultados estão à vista de todos.

Passámos de um empate na Madeira e uma vitória sofrida em Alvalade, frente ao SC Braga, para uma vitória convincente em que, para além do habitual destaque de Bruno Fernandes que fez mais duas assistências, Vietto mostrou toda a sua classe e fez por merecer mais oportunidades no onze inicial.

Houve também uma alteração que passou mais despercebida, mas que teve muito impacto nesta exibição de Vietto. Relativamente ao jogo na Madeira, Marcos Acuña baixou no terreno e ocupou o lugar de Borja como defesa esquerdo. O corredor ficou muito mais coeso porque o jogador argentino equilibra bastante o setor mais recuado, pois não se aventura muito nos processos ofensivos. Aliás, só o faz quando necessário e oferece um “pulmão” inacreditável, fazendo com que a equipa fique mais descansada nessa zona.

O número 9 leonino continua a ser uma peça-chave no esquema de Keizer
Fonte: Carlos Silva/Bola na Rede

Por isso, Luciano Vietto ficou com mais liberdade de movimentos, não tendo que se preocupar tanto com os processos defensivos e, como tal, consegue pôr em jogo todo o seu talento, o qual ficou visível no segundo golo leonino, em que fez “meio-golo” com o passe a rasgar toda a defesa do Portimonense. Com Bruno Fernandes e com o craque argentino em campo, o Sporting fica com dois “génios” que conseguem fazer aparecer jogadas ao nível de poucos em Portugal, sendo que fica mais fácil os golos aparecerem.

Mas isto não significa que Cristián Borja seja um jogador inapto para o clube leonino, muito pelo contrário, porque é um jogador que não inventa e joga simples. No entanto, em comparação com Acuña, não equilibra tão bem a equipa aquando dos contra-ataques adversários. Como tal, não combina tão bem com Luciano Vietto à sua frente, mas jogando com um extremo puro, que tenha mais disponibilidade física para defender, encaixa que nem uma luva no esquema tático de Keizer.

Foto de Capa: Bola na Rede

Comentários