O capitão leonino, Bruno Fernandes, ruma ao futebol inglês para representar o Manchester United FC. Uma transferência a rondar os 55M€, mais 25M€, por objetivos. O Sporting ficará ainda com 10% de uma futura venda do craque português. O número oito dos leões irá assim, rumar a Old Tradford, rubricando um contrato válido por quatro temporadas e meia.

Bruno Fernandes, que chegou ao Sporting Clube de Portugal, na época 2017/18, proveniente da Sampdoria, deixa a sua marca no futebol português. Em duas épocas e meia de leão ao peito, realizou 137 jogos e marcou 63 golos. Sendo o principal ativo do Sporting, conquistou duas Taças da Liga e uma Taça de Portugal.

Com a qualidade que demonstrou nas últimas temporadas, no futebol português, tornou-se titular na seleção portuguesa, contabilizando 19 internacionalizações e dois golos. Por Portugal somou mais um título, em 2019, a Liga das Nações.

Bruno Fernandes ao serviço do Sporting CP
Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Na presente temporada, voltou a ser fundamental para o Sporting, em 28 jogos, soma 15 golos e 14 assistências. A preponderância de Bruno Fernandes fez-se sentir no processo ofensivo, mas também no processo defensivo, sendo o primeiro a pressionar os adversários, tendo uma forte reação à perda da bola. Em termos ofensivos, destaca-se a capacidade de chegada a zonas de finalização, a forte meia distância, a qualidade de passe e a visão de jogo. Além das suas características, é um verdadeiro líder dentro de campo, com enorme entrega e raça, dando tudo em cada lance, em cada jogo.

Anúncio Publicitário

Em Old Tradford, ao serviço do Manchester United, Bruno vai cumprir o sonho de jogar na Premier League. Havendo naturais expectativas que possa ter sucesso, conquistar títulos e confirmar o seu enorme talento.

Para sempre, na memória dos sportinguistas, ficarão os golos, as jogadas, os passes, a qualidade que demonstrou ao longo das últimas épocas. Sendo um exemplo pelo Esforço, Dedicação e Devoção, em cada jogo e em cada lance.

Obrigado, Bruno!

Foto de Capa: Carlos Silva / Bola na Rede

Artigo revisto por Diogo Teixeira