O Sporting deslocou-se ao Cazaquistão com a possibilidade de carimbar, a uma jornada do término da fase de grupos, a passagem aos 16 avos de final da Liga Europa. Para tal, e para não depender de terceiros, bastava vencer a partida e conquistar assim os três pontos.

Assim sendo, o Sporting começou o jogo logo com o pé no acelerador e adiantou-se no marcador logo à passagem do quinto minuto:  numa jogada ofensiva desenhada pelo lado direito do ataque sportinguista, Bruno Gaspar cruzou rasteiro para Bas Dost, que rodopiou de forma magnífica e sofreu um toque já na grande área; Petr Ardeleanu, árbitro da partida, apontou perentoriamente para a marca dos onze metros e o avançado holandês não desperdiçou, colocando assim o Sporting na frente do marcador.

Porém, os ‘azeris’ reagiram bem ao golo sofrido e aos 14 minutos chegaram mesmo ao golo do empate. Guerrier apareceu isolado ao segundo poste após um cruzamento largo do flanco direito, amorteceu de peito Zoubir, que atirou forte e restabeleceu a igualdade no marcador.

O Sporting, apesar do golo empate, não reduziu o ritmo da partida e rapidamente voltou a estar na frente da partida. Aos 20 minutos de jogo, numa rápida jogada ofensiva, Bruno Fernandes apareceu com espaço numa zona frontal e atirou à baliza sem pensar duas vezes. O remate saiu fraco, mas Halldórsson, traído pelo relvado, não conseguiu travar o pontapé do médio português.

Anúncio Publicitário

Treze minutos depois, os leões voltaram a festejar em Baku. Nani, após passe de Wendel, conduziu a jogada de forma magnífica: passou por quatro jogadores de forma brilhante e, já na área, atirou a contar. Momento de pura magia do avançado português!

Até ao intervalo não houve mais nenhum golo, mas os homens da casa ficaram muito perto de voltar a agitar as redes de Renan Ribeiro. Aproveitando um desentendimento na defesa leonina, Michel, assistido por Zoubir, fez um chapéu quase perfeito ao guardião dos leões. Só não foi perfeito porque apareceu Bruno Fernandes, em esforço, a tirar a bola da linha de golo.  Grande solidariedade defensiva do médio português.

Jogadores do Sporting foram claramente superiores
Fonte: Sporting CP

O árbitro checo acabou mesmo por mandar os jogadores para os balneários, num primeiro tempo em que o Sporting foi notoriamente superior, mas onde ficou também patente que o Qarabag conseguia sempre assustar os homens de Keiser.

Se, por um lado, a primeira parte foi disputada num ritmo elevado, o segundo tempo foi bem cauteloso. Muito por causa do Sporting, que foi adormecendo o jogo ao longo da partida e que tem um difícil embate frente ao Rio Ave na próxima jornada do campeonato, o jogo não trouxe muitos mais lances dignos de registo.

Foi preciso esperar até aos 64 minutos para voltar a haver golo no Cazaquistão. Após um passe de Wendel, e aproveitando um clamoroso erro de Guerrier, Mali progrediu no terreno, driblou o guardião islandês e fez o qua

Pouco depois, aos 71 minutos, Wendel voltou a estar numa jogada ofensiva. Após um cruzamento tenso de Jovane Cabral, que substituiu Bas Dost, o médio brasileiro apareceu isolado ao segundo poste onde falhou de forma escandalosa.

Quatro minutos depois, os homens de Keiser voltaram a festejar. Numa belíssima jogada desenhada em zona frontal, Wendel (mais uma vez!) assistiu Bruno Fernandes, que, de pé esquerdo, fuzilou a baliza ‘azeri’.

Aos oitenta minutos, o sexto dos leões: Jovane, com espaço, cruzou para a área onde apareceu, também com espaço, Diaby, que aproveitou e aumentou (ainda mais!) a vantagem dos leões.

A vantagem ficou acabou por se pautar nos 5 golos de diferença e o Sporting deu provas de que é claramente superior a esta equipa ‘azteca’ e que está claramente num bom caminho.

Foto de Capa: Sporting CP