sporting cabeçalho generíco

Depois de mais uma vitória sofrida pela margem mínima (em oito triunfos, cinco foram por um golo de diferença) o Sporting continua com a mesma vantagem pontual antes de mais uma paragem para jogos internacionais.

Contra um autocarro de dois pisos, o Sporting não criou muitas ocasiões de golo e, mais uma vez, há que destacar a exibição e a eficácia de Islam Slimani. Praticamente no único remate que fez em todo o jogo, o argelino marcou um golo muito importante. Já no reinado de Leonardo Jardim tinha sido Super Sli a desbloquear o jogo no relvado (ou coisa semelhante que lá existe) de Arouca. Quando chegou a Alvalade raramente dominava uma bola com os pés e agora está feito um senhor jogador, na minha opinião o melhor avançado do campeonato, a par de Jonas. São eles os dois melhores marcadores da Liga; o brasileiro com 8 e Slimani com 7 festejos.

Mas olhando em particular para o africano existe muita coisa para dizer. Slimani foi contratado por 300 mil euros e, neste momento, penso que 15 milhões de euros não o levariam para fora de Alvalade. O avançado que começou, na sua primeira época, por ser a arma secreta que entrava nas segundas partes quando Montero não conseguia desbloquear os jogos tornou-se a principal arma ofensiva da equipa. Pressiona os centrais (hoje Teo também esteve bem neste aspeto), foge para os flancos, vem atrás em busca da bola para jogar, já tenta adornar lances e fazer tabelas com os colegas.

Se entre os dois avançados colombianos existem dúvidas sobre qual deve jogar, com alguns adeptos a preferirem Fredy Montero e outros a preferirem Teófilo Gutiérrez, sobre Islam Slimani não existem interrogações. Ele tem de jogar sempre no campeonato, tem de estar sempre nos momentos onde o jogo se decide. E isto acontece porque teve uma evolução tremenda com Leonardo Jardim, Marco Silva e, agora, Jorge Jesus.

Legenda: Os pés de Slimani já tratam a bola por tu… Fonte: Sporting CP
Legenda: Os pés de Slimani já tratam a bola por tu…
Fonte: Sporting CP
Anúncio Publicitário

Um dos defeitos que se lhe apontavam era a falta de eficácia em algumas situações. Havia jogos em que Slimani fazia desesperar os adeptos com alguns falhanços clamorosos. Mas a final da Taça frente ao SC Braga, o golo na receção ao CSKA Moscovo, a cabeçada no Estádio da Luz e o golo de Arouca são quatro momentos muito fortes do argelino em jogos muitíssimo importantes nos últimos tempos. Ele está feito um grande jogador e, a meu ver, faz parte da atual espinha dorsal da equipa: Rui Patrício, Paulo Oliveira, William Carvalho, Adrien, João Mário e Slimani. São estes seis os principais trunfos do clube na luta pelo título nesta época. Oxalá não saia nenhum deles em janeiro.

Ainda sobre Slimani, um último pormenor: tem melhorado os seus índices de paciência. Esta época já viu pelo menos três defesas (Sergei Ignashevich, Paulo Vinícius e Mano) jogarem andebol à sua frente. O argelino abre os braços, grita com os árbitros, mas vai conseguindo conter os amarelos e isso também é importante.

Uma nota apenas sobre o jogo da Albânia. Sim, é muito mau termos perdido por 3-0 frente ao Skenderbeu. Os nossos suplentes tinham obrigação de vencer aquele jogo, frente a uma equipa de Segunda Liga portuguesa. Mas, em Moscovo, acho que Jesus deve escolher a mesma equipa. Porque antes há jogo com o Benfica e depois há receção ao Belenenses. Já que a UEFA colocou injustamente, e pelo segundo ano consecutivo, o Sporting na Liga Europa, penso que o facto de o Sporting colocar a UEFA em segundo plano é uma resposta apropriada. Vencer o campeonato significará ter a época ganha. E vitórias como a de Arouca são muito importantes e saborosas…

Foto de Capa: Sporting CP

Comentários