O Sporting CP tem, neste momento, um plantel que mantém a base da última temporada, na qual se sagrou campeão nacional. Neste arranque de época, os leões, liderados por Rúben Amorim, já conquistaram um título – a Supertaça Cândido de Oliveira. No entanto, o emblema de Alvalade tem ainda o futuro de alguns atletas por definir – aqueles que, neste momento, não integram a equipa principal.

O guarda-redes, Renan Ribeiro, chegou ao Sporting CP na época 2018/2019, nas últimas três temporadas disputou 56 jogos e conquistou uma Taça de Portugal e uma Taça da Liga. O guardião brasileiro tem um contrato válido até 2023, com um valor de mercado de 600 mil euros, tendo sido uma aquisição no valor de um milhão de euros. Renan, na última época, não somou qualquer minuto de jogo e, por isso, deverá prosseguir a sua carreira fora de Alvalade.

Tiago Ilori é outro dos jogadores que poderá estar de saída do Sporting CP, tendo chegado em janeiro de 2019, num negócio a rondar os dois milhões de euros, proveniente do Reading. Na última época, esteve ao serviço dos franceses do Lorient, não tendo sido utilizado. Em Alvalade, na sua segunda passagem, em duas épocas disputou 24 jogos. O defesa-central tem um contrato válido até 2024 e um valor de mercado de apenas um milhão de euros.

O atleta formado em Alcochete, Ivanildo Fernandes, após uma época no Almeria por empréstimo, onde disputou 17 jogos, deverá também sair. Aos 25 anos, Ivanildo já esteve por empréstimo ao serviço de vários emblemas, não tendo espaço no Sporting.

Anúncio Publicitário
Renan Ribeiro integra o lote de preteridos por Rúben Amorim, téncico do Sporting CP
Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

O médio-defensivo, Idrissa Doumbia, chegou ao Sporting numa transferência a rondar os quatro milhões de euros em 2018/2019, rubricando um contrato válido até 2024. O médio representou os espanhóis do Huesca, emblema da La Liga, na temporada transacta, somando 25 jogos. Doumbia poderá prosseguir a sua carreira ao serviço de outro clube.

Outro médio que deve sair do Sporting é Eduardo Henrique, que tem um contrato até 2024 e não entra nas contas de Ruben Amorim. O jogador brasileiro esteve na Serie A, ao serviço do Crotone, na última época, tendo disputado 19 jogos nos quais apontou um golo.

O internacional argentino, Rodrigo Battaglia poderá vir a ser um encaixe financeiro para o emblema de Alvalade. O médio vestiu a camisola do Alavés na época passada, somando 35 jogos e um golo. Battaglia tem um valor de mercado fixado nos quatro milhões de euros e um contrato válido até 2023.

O extremo internacional português, Rafael Camacho, é mais um dos jogadores que pode abandonar o clube. Camacho vestiu a camisola do Rio Ave, na segunda metade da época passada. O extremo tem um valor de mercado de três milhões e meio de euros e um contrato válido até 2024.

Abdoulay Diaby é outro dos dossiers por resolver: o extremo tem um valor de mercado fixado em dois milhões de euros e o seu vínculo com o Sporting termina em 2023. Nas últimas duas temporadas, representou por empréstimo o Besiktas, o Getafe e o Anderlecht. Assim, o cenário mais provável passa por uma saída a título definitivo.

Em dúvida estará ainda o destino dos dois pontas-de-lança, Andraz Sporar e Luiz Phellype. O dianteiro brasileiro contraiu uma lesão grave, que o obrigou a uma paragem de cerca de um ano e está a adquirir os seus melhores indíces físicos. Sporar foi incluído por empréstimo de meia época, no negócio de Paulinho com o SC Braga, por isso poderá ser transferido para outro emblema.

O futuro destes atletas é uma das prioridades para o Sporting, facto que poderá permitir fazer um encaixe financeiro e baixar a folha salarial de modo que outras posições do plantel às ordens de Rúben Amorim saia reforçado.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome