A formação do Sporting, normalmente, é conhecida pela qualidade dos seus extremos, como é o caso de Gelson Martins, Luís Nani ou Cristiano Ronaldo, e também pela qualidade dos seus médios, William Carvalho, Adrien Silva e Figo. Contudo, no que toca a centrais é difícil enunciar um nome porque, de facto, são muito poucos os que se conseguem assumir em equipas de bom calibre. Qual será a causa desta escassa formação de centrais?

Merih Demiral é um dos nomes que não se conseguiu afirmar, sendo emprestado ao Alanyaspor com uma cláusula de três milhões e meio de euros. Contratado aos 20 anos ao Alcanenense, que disputava a Série F do Campeonato de Portugal, depois de ter rescindido o seu contrato com o Fenerbahçe e ter rumado ao Ribatejo porque “No Fenerbahçe, dão prioridade aos mais velhos e aos estrangeiros. Então o meu futuro estaria hipotecado”, palavras prestadas antes do confronto entre as seleções de sub-19 da Turquia e de Portugal, na Ronda Elite de acesso ao Europeu da Geórgia.

O jovem central turco integrou a pré-temporada leonina mas foi um dos preteridos
Fonte: Bola na Rede

Demiral possui uma excelente capacidade de corte, de leitura dos lances e índices competitivos fora do normal para a sua idade, o que fazia dele uma excelente oportunidade para o clube, quer do ponto de vista financeiro quer desportivo. Antes, o próprio fez uma afirmação curiosa em relação à sua estadia em Alcochete, tendo dito que “O Rafael Leão já me pediu para ser mais suave na abordagem aos lances, mas eles já sabem como sou: sou duro, muito duro, limpo tudo!”.

Com tantos aspetos positivos neste negócio, Demiral tinha tudo para “dar o salto” no Sporting, ficando provado também que o scouting do clube leonino anda atento ao potencial de todos os campeonatos portugueses. O tempo foi passando e Demiral apenas foi jogando nas equipas secundárias, tendo sempre um papel secundário no plantel principal até que foi emprestado ao clube turco.

Bastou uma época para o central mostrar toda a sua qualidade, tornando-se um ótimo negócio para o clube turco, que acionou a opção de compra do empréstimo do Sporting, vendendo-o quase de imediato por sete milhões de euros ao Sassuolo. O valor envolvente na transferência para a Turquia provou ser muito abaixo do seu potencial, o que prejudicou financeiramente o clube leonino porque, numa montra como o campeonato português, o jogador iria mostrar-se aos “tubarões europeus” com muito mais facilidade.

Tal como Demiral, existem outros jogadores em situação semelhante, como é o caso de Domingos Duarte e Ivanildo Fernandes, ambos à espera de uma oportunidade para mostrarem todo o seu futebol. A atual direção e respetiva equipa técnica terá que refletir, planear e definir muito bem quais os jogadores da formação que irão ser aposta na próxima época, sendo a zona central da defesa uma zona em que não existem, por enquanto, substitutos a altura de Jérémy Mathieu e Sebastián Coates.

Foto de Capa: Bola na Rede

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários

Artigo anteriorThe Women’s Tour: A outra Grande Volta?
Próximo artigoAlex Telles, o homem que não tem limites
O João é estudante de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa. O Sporting é o seu clube do coração e apesar de não ir a tantos jogos como gostava, acompanha sempre tudo o que envolve o mundo leonino. O João também se mantém informado não só sobre o futebol internacional, considerando o futebol Inglês o melhor, mas também como as modalidades leoninas.                                                                                                                                                 O João escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.