As imagens do último “INSIDE” demonstram precisamente a alegria e o bom humor que se vive em sessões de treino repletas de juventude: um torneio de futvólei organizado por Rúben Amorim deu azo a momentos de diversão entre os jogadores. Tabata pedia que as regras desse jogo de futevolei fossem mais rigorosas e Rúben Amorim rematou com humor «Tabata, há aqui gajos que nunca viram a praia”.

A formação do Sporting CP está a viver um autêntico conto de fadas. Não só pelo remoto primeiro lugar que ocupa na tabela classificativa, mas sobretudo pela harmonia e pela união que existem no seio do seu grupo de trabalho. Nota-se a felicidade dos jogadores na maneira como se empenham nos treinos, bem como a união entre todos, desde os jogadores mais experientes até aos “miúdos”.

Aliás, se há particularidade que sobressai muito na turma de Rúben Amorim é o facto de não existirem “vedetas” contrariamente a outros plantéis que o Sporting CP já teve. Isto revela que o jovem técnico é igualmente criterioso no que respeita ao perfil psicológico dos seus jogadores.

https://www.youtube.com/watch?v=wJ1QLWdYshE

Anúncio Publicitário

Em plena pausa do campeonato para os compromissos das selecções, Rúben Amorim implementou treinos de descompressão de modo a estimular ainda mais os laços entre os seus jogadores, aproveitando para chamar ao seu grupo de trabalho jovens da formação que poderão integrar a sua equipa num futuro próximo.

Mais do que falar nos “colchões” da Academia ou se o Nuno Mendes tem ou não contrato de formação em 2017, importa criar e fomentar uma (cada vez maior) simbiose entre a formação e a equipa principal, mostrando aos jovens Leões que ali têm lugar e podem ver o seu valor reconhecido, como o próprio já garantiu numa conferência de imprensa.

Neste aspecto, o trabalho de Rúben Amorim tem sido soberbo. Quando o jovem técnico diz em tom humorado que “há aqui gajos que nunca viram a praia”, não deixa de expressar uma certa parábola: é que muitos dos jovens presentes naquele treino, dificilmente teriam uma oportunidade de mostrar o seu valor, se o Sporting CP tivesse outro tipo de treinador.

Diga-se a propósito que os “INSIDES”, a par do Podcast ADN de Leão,  foram duas apostas ganhas pela Comunicação do Sporting CP. Departamentos de comunicação de certos clubes que se dedicam a instigar o ódio, insultar os adversários e a incendiar ânimos, devem estranhar – e muito – a estratégia de comunicação leonina.

Artigo revisto por Inês Vieira Brandão