A CRÓNICA: MAXIMIANO QUASE TUDO PAROU

O conjunto da casa entrou melhor no encontro e dominou por completo a primeira metade, desperdiçando até várias boas oportunidades para se adiantar. Ainda assim, não só dos falhanços dos seus atacantes se pode queixar, já que Maximiano se agigantou entre os postes e fez uma exibição de luxo que quase tudo impediu de entrar na baliza à sua guarda. O Sporting CP até esteve melhor no recomeço, mas foi novamente Maximiano a ter de se mostrar com uma excelente defesa aos 62’.

Dois dias depois de ser confirmado como reforço para o Barcelona FC na próxima época, Trincão até começou no banco, mas entrou para resolver. Numa jogada confusa com vários ressaltos em que Maximiano, Coates e Neto ainda salvaram as primeiras tentativas, finalmente a bola sobrou para Trincão que fez o gosto ao pé e confirmou uma semana de sonho.

Nos instantes finais, o Sporting ainda tentou dar a volta ao texto e teve algumas oportunidades de bola parada, uma das quais Matheus resolveu mal, mas os visitantes não foram capazes de aproveitar a sobra. À pressão da desvantagem os leões ainda deram alguma resposta, mas acabam por sair com uma derrota justa perante o parco nível futebolístico apresentado.

Anúncio Publicitário

Nota negativa para o árbitro do encontro que, com um critério por vezes incompreensível na amostragem de cartões, acabou por contribuir apenas para aquecer os ânimos, não conseguindo gerir corretamente o jogo.

A FIGURA

Fonte: Carlos Silva/Bola na Rede

Maximiano – Num jogo dominado pelo adversário, o jovem guardião esteve impecável nas suas funções, com diversas intervenções que foram mantendo o Sporting na discussão da partida e foi, de longo, o jogador que mais se destacou durante os 90 minutos. Fica, ainda assim, a impressão de que lhe falta ainda ganhar um pouco de tranquilidade nas saídas dos postes.

 

O FORA DE JOGO

Fonte: SC Braga

Tridente ofensivo do SC Braga – De um Paulinho perdulário a um Galeno sem a explosividade habitual e um Ricardo Horta muito apagado, foi um dia não para o tridente atacante que tem espalhado o terror nos adversários nos últimos jogos.

 

ANÁLISE TÁTICA – SC BRAGA

Mantendo o já habitual esquema de 3-5-2, Ruben Amorim não surpreendeu e apresentou o onze esperado, ainda que com algumas alterações já que a indisponibilidade de Tormena, Raul (lesão, Novais (castigo) e Palhinha (emprestado pelo Sporting CP) abriu as portas da titularidade a Wallace, Carmo e André Horta. Perante um dia menos bom do trio de ataque, Trincão saltou do banco para mexer com a ofensiva arsenalista e acabou por resolver o encontro.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Matheus (5)

Esgaio (6)

Wallace (5)

Carmo (5)

Bruno Viana (7)

Sequeira (6)

André Horta (6)

Fransérgio (6)

Galeno (5)

Paulinho (4)

Ricardo Horta (5)

SUBS UTILIZADOS

Trincão (6)

Bruno Wilson (5)

Rui Fonte (-)

ANÁLISE TÁTICA – SPORTING CP

No primeiro jogo da era pós-Bruno Fernandes, o Sporting de Silas nfez algumas mudanças taticamente, com o habitual 4-5-1 a ser alternado a certos momentos com uma linha defensiva de três jogadores. Na defesa, a lesão de Mathieu ofereceu a titularidade ao ex-internacional Luís Neto, que ainda não convenceu nesta passagem pelos leões e, na frente de ataque, Sporar passou a ser a referência, fruto, ainda assim, mais da lesão de Luiz Phellype que da sua boa exibição na estreia frente ao Marítimo. No centro do terreno é que houve um maior ajuste, passando o conjunto verde e branco a atuar com dois médios mais defensivos atrás de Wendel, que só ocupou em parte as funções de Bruno Fernandes, já que foi ajudado pelas várias incursões ao meio de Camacho. No entanto, a ligação à frente acabou por falhar e Sporar por ficar muito isolado. Vietto foi o mais interventivo dos substitutos, mas a saída de Acuña acabou por revelar maiores fragilidades defensivas.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Maximiano (8)

Ristovski (5)

Coates (6)

Neto (4)

Borja (3)

Eduardo (5)

Battaglia (5)

Wendel (6)

Camacho (6)

Acuña (5)

Sporar (5)

SUBS UTILIZADOS

Vietto (5)

Jovane Cabral (4)

Plata (-)

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

SC Braga

BnR: Nos últimos tempos tem-se falado muito dos horários dos jogos, mas hoje com um jogo ao domingo à tarde, contra um grande, com uma equipa em maré de bons resultados e até uma campanha promocional, o Estádio esteve a pouco mais de meia casa, que é um objetivo já falado pelo Braga anteriormente para ter em todas as partidas. Na sua opinião, o que é que é continua a faltar fazer?

Ruben Amorim: Em tudo, em relação ao clube, aos nossos jogadores, à nossa equipa, deve-se falar daqueles que estão. Eu quero é agradecer aqueles que estão, aos 20 mil que apareceram, e esses é que devem ser falados aqui.

Quanto às pessoas que falta, cabe-nos a nós fazer a nossa parte e os adeptos vão fazer a parte deles. Mas, estamos muito felizes com o apoio que estivemos, mesmo a meio da semana tivemos bastante apoio em Moreira de Cónegos, mesmo sabendo que não é fácil uma pessoa sair do trabalho e ainda ir ver o jogo.

Portanto, vamos falar é daqueles que estiveram cá e eu quero agradecer publicamente aos adeptos que estiveram cá e que já estiveram na Taça da Liga. Vejo uma grande união entre os adeptos e a equipa e isso é o mais importante.

 

Foto de Capa: SC Braga

artigo revisto por: Ana Ferreira