sporting cp cabeçalho 2

O Sporting venceu neste sábado o Estoril na Amoreira, regressando assim, provisoriamente, à liderança do campeonato. Os “verde e brancos” reagiram bem à derrota no dérbi e colocam alguma pressão sobre o Benfica, antes do jogo destes contra o Tondela.

Frente aos “canarinhos”, Jorge Jesus fez algumas mudanças surpreendentes no onze inicial. Os regressos de Rúben Semedo e Zeegelaar já eram esperados, devido à falta de ritmo de Paulo Oliveira e à ausência forçada de Jefferson. Contudo, Schelotto e Teo Gutiérrez foram, para mim, titularidades surpreendentes. O lateral ítalo-argentino continua sem me convencer, tanto a nível defensivo como a nível ofensivo. Alguns cruzamentos e até remates despropositados, aliados àquele corte “kamikaze” no último lance da partida, que só não deu golo devido a Rui Patrício, comprovam que é um jogador demasiado inconstante para alinhar num esquema defensivo alto e arriscado como o do Sporting.

Mostra muita raça e garra, mas isso por si só não chega. É preciso mais e, neste momento, penso que João Pereira tem mais capacidade para tal. Já no que toca ao avançado “cafetero”, não vou bater muito mais no “ceguinho”. Apenas desejo que JJ comece a preferir Barcos em relação a Teo, devido à falta de compromisso do colombiano para com a equipa.

Contudo, este último jogo trouxe várias coisas boas. Slimani quebrou o jejum, bisando na partida (o primeiro golo é de uma classe cada vez mais vista no argelino); Coates e Rúben Semedo voltaram a estar muito bem na partida (as dificuldades que um jogador da qualidade de Paulo Oliveira está a ter para regressar ao onze são prova disso); Rui Patrício voltou a dizer “presente”, sendo fundamental para segurar mais três pontos; e, por fim, a última grande novidade: William Carvalho.

William Carvalho tem sido cada vez mais preponderante nos "leões". Fonte: Sporting CP
William Carvalho tem sido cada vez mais preponderante nos “leões”
Fonte: Sporting CP
Anúncio Publicitário

O número 14 leonino, depois de um início de época afastado das opções por lesão e de alguns meses com uma qualidade exibicional longe do que já vimos dele, tem estado a realizar bons jogos, o que é uma ótima notícia, tendo em conta que estamos na reta decisiva da Liga e cada vez mais próximos do Europeu. Frente a Vitória de Guimarães, Benfica e Estoril, ou seja, nos últimos três jogos do campeonato, o médio defensivo leonino foi sempre dos melhores da equipa, sendo muito influente na recuperação de bolas e na segurança que ajuda a transmitir ao quarteto defensivo.

Também por aí se diz que o Vitória e o Benfica tiveram apenas uma ocasião de golo frente aos “leões”, tendo sido o Estoril aquele que mais incomodou Rui Patrício. Infelizmente, o setor ofensivo não esteve tão forte nas duas partidas anteriores, tendo a equipa amealhado resultados negativos. Contudo, isso não apaga o rendimento do subcapitão “verde e branco”. A sua passada larga no meio campo voltou a superiorizar-se à dos médios e avançados contrários; tem jogado com a cabeça cada vez mais levantada e a braçadeira de capitão, que utiliza nas ausências de Adrien, tem-lhe assentado muito bem. William parece estar cada vez mais sereno e a assimilar melhor as ideias pretendidas por JJ para as suas funções dentro das quatro linhas.

Promete uma luta intensa com Danilo Pereira pela titularidade na equipa das quinas, o que é uma ótima dor de cabeça para Fernando Santos. Finalmente, temos William!

Espero que o número 14 dê seguimento a esta forma recente e continue em grande plano até ao final da temporada, ajudando o Sporting a cumprir o sonho de ser campeão em maio.

Uma última nota para os panfletos que foram espalhados na última sexta feira, em algumas estações de metro da capital portuguesa. Encontrei uma dessas “relíquias”, já ao final da tarde, e ri-me. Ri-me bastante enquanto lia as coisas que lá estavam escritas, lembrando-me de sete ou oito “pessoas” que já as disseram publicamente. É fácil imaginar quem são os cobardes que criticam Bruno de Carvalho, utilizando panfletos porque têm medo de o confrontar publicamente. Pois eu, como sportinguista,  só tenho uma coisa a dizer: tenho muito orgulho em dizer que sou adepto do clube que tem Bruno de Carvalho como presidente.

Pode falar demais no Facebook, pode dizer demasiadas verdades aos árbitros, verdades que eles não gostam de ouvir, mas ao menos luta, de forma clara, por valores nobres como a verdade desportiva, pela elevação e pelo regresso à ribalta do Sporting Clube de Portugal, ao contrário de presidentes e candidatos a presidentes que almoçam com os Mr.Burns desta vida ou de presidentes que fizeram negócios ruinosos como a venda de Eric Dier por cinco milhões de euros, em épocas em que nem sequer participámos nas competições europeias.

Bruno, faça o favor de continuar sempre com o pé no acelerador na defesa dos interesses do Sporting Clube de Portugal!

Foto de Capa: Sporting CP

 

Comentários