logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

Sporting x Benfica

SL Benfica 1-3 Sporting CP: Leões dominam na Luz e não abrandam o ritmo

A CRÓNICA: LENÇOS BRANCOS CRITICAM UM BENFICA SEM IDEIAS

SL Benfica e Sporting CP mediram forças na 13.ª jornada do campeonato. Num Estádio da Luz com as bancadas cheias pelos adeptos de ambas as equipas, o derby iniciou como se podia esperar: com ambas as equipas a procurarem o golo e a colocarem em campo toda a sua intensidade.

Os “leões” mostraram-se mais acutilantes no ataque à baliza adversária e colocaram muitas dificuldades à equipa da casa. Foi através da inspiração de Pote e do talento de Sarabia que surgiu o primeiro golo, com o médio a encontrar o avançado espanhol entre os centrais “encarnados” e este a finalizar de primeira.

O Benfica não se encolheu e procurou o empate, mas vacilava no momento da decisão. O Sporting aproveitava o pendor ofensivo adversário para atacar em contra-ataque e conseguiu marcar novamente, mas o tento de Paulinho foi anulado por fora de jogo e o encontro seguiu para intervalo com 1-0 no marcador.

A saída para o descanso fez bem aos comandados de Jorge Jesus, que começaram a aproximar-se mais da baliza “leonina” e a importunar Adán – que até então fora praticamente sempre um espectador. Primeiro por Darwin e depois João Mário desperdiçaram oportunidades e a formação de Alvalade respondeu a contar. Matheus Nunes progrediu no campo e encontrou Paulinho que picou a bola sobre Odysseas e fez o 2-0.

Tal como acontecera na primeira parte, as “águias” voltaram a reagir, mas Rafa não conseguiu finalizar e levou o esférico à trave. Desta vez Matheus Nunes assumiu o papel de finalizador e marcou, fazendo o 3-0 e levando vários adeptos “encarnados” a deixar as bancadas do estádio.

Até ao final o Benfica conseguiu reduzir por intermédio de Pizzi, mas os três pontos seguiram para Alvalade.

 

A FIGURA
Sporting x Benfica
Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Pablo Sarabia – O avançado espanhol foi sempre uma seta apontada à baliza adversária e nunca permitiu que a defesa adversária descansasse. Matheus Nunes também esteve em evidência e pode partilhar esta distinção.

 

O FORA DE JOGO
Sporting
Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Everton – O médio brasileiro até entrou bem no jogo, evidenciando-se como um dos principais “motores” ofensivos das “águias” que se balanceavam no corredor esquerdo. Contudo, Everton foi perdendo influência com o passar dos minutos e a transição para ala direita apenas veio dificultar ainda mais a sua exibição.

 

ANÁLISE TÁTICA – SL BENFICA

Na procura do 3-4-3, Jorge Jesus apostou em André Almeida para a posição de terceiro central e a falta de velocidade e entrosamento com os seus colegas de setor fez-se sentir, com Sarabia a aproveitar o espaço para inaugurar o marcador e assistir Paulinho para um golo que seria anulado por fora de jogo.

Ofensivamente o Benfica voltou a mostrar dificuldades no momento da decisão. Tanto na hora de finalizar como de encontrar o homem mais avançado, a equipa da Luz mostrou alguma infelicidade ao atirar dois remates aos ferros, mas faltou sangue-frio para ultrapassar Adán.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Odysseas Vlachodimos (6)

Grimaldo (6)

Vertonghen (6)

Otamendi (7)

André Almeida (5)

Valentino Lázaro (6)

Julian Weigl (6)

João Mário (7)

Rafa (6)

Everton (5)

Darwin (6)

SUBS UTILIZADOS 

Yaremchuck (6)

Pizzi (6)

Gilberto (6)

Taarabt (5)

Gonçalo Ramos (5)

ANÁLISE TÁTICA – SPORTING CP

Sem João Palhinha nem Sebastian Coates, Ruben Amorim apostou em Ugarte e Feddal para assumirem as posições de médio defensivo e central, respetivamente, e a formação de Alvalade não se ressentiu. A dupla de centrocampistas formada por Ugarte e Matheus Nunes controlou o meio-campo e o médio português foi fundamental com a forma como marcou e assistiu Paulinho para o segundo golo.

O tridente ofensivo composto por Pote, Paulinho e Sarabia – apelidado de PSP pelos adeptos leoninos – mostra-se cada vez mais habituado a jogar junto e causou o caos frente a uma defesa do Benfica que teve muitas dificuldades em lidar com a sua velocidade e mobilidade.

Defensivamente também importa mencionar a exibição do trio defensivo do emblema de Alvalade, que conseguiu sempre limitar as ações de Darwin e Yaremchuk.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Adán (7)

Luís Neto (6)

Gonçalo Inácio (6)

Feddal (6)

Matheus Reis (6)

Pedro Porro (7)

Manuel Ugarte (7)

Matheus Nunes (7)

Pedro Gonçalves (8)

Pablo Sarabia (8)

Paulinho (7)

SUBS UTILIZADOS 

Ricardo Esgaio (6)

Tiago Tomás (6)

Nuno Santos (-)

Daniel Bragança (-)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

SL Benfica

Não foram colocadas questões ao treinador do SL Benfica, Jorge Jesus

Sporting CP

Não foram colocadas questões ao treinador do Sporting CP, Rúben Amorim

 

É jornalista desportivo e o andebol e o futebol foram o seu primeiro amor. Com o passar do tempo apaixonou-se também pelo basquetebol e futebol americano, e neste momento já não consegue escolher apenas um                                                                                                                                                 O Leonardo não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

É jornalista desportivo e o andebol e o futebol foram o seu primeiro amor. Com o passar do tempo apaixonou-se também pelo basquetebol e futebol americano, e neste momento já não consegue escolher apenas um                                                                                                                                                 O Leonardo não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

[my_elementor_post_nav_output]

FC PORTO vs CD TONDELA