sporting cp cabeçalho 2

No decorrer dos últimos meses, Islam Slimani tem mostrado a grande mais-valia que está a ser para o Sporting CP (a mim, inclusive, está-me a fazer esquecer um tal de André Carrillo). A capacidade de decisão do argelino é fundamental em muitos dos triunfos dos leões sendo agraciado por bastantes adeptos. Mas está o Sporting a tornar-se “Slimanicêntrico”?

Com a decisão do castigo próxima de se saber, é inevitável pensar se Slimani é mesmo o centro da equipa leonina. Começa-se a pensar se estará disponível para o encontro contra os rivais da segunda circular, ou se lhe “perdoam” esse jogo para ficar castigado nos próximos. Muitos depositam no avançado as esperanças de arrecadar um título que nos foge há muito, centrando assim atenções num jogador que nos tem dado muitas alegrias.

Quais são então as soluções de Jesus no que respeita a este caso?

Comecemos pelo mais novo, Matheus Pereira. Apesar da sua tenra idade, o jovem brasileiro já mostrou que tem estofo para pertencer à equipa principal dos leões. Com a sua velocidade e teimosia, é capaz de ajudar nos ataques, bem como conseguir descer ao meio campo para recuperar a bola. No entanto, a sua idade também é decisiva, visto que por vezes mostra alguma imaturidade na hora de decidir.

Anúncio Publicitário

De seguida, temos três jogadores que não convencem muito (nesta listagem já não incluo nem o Gelson Martins nem o Bryan Ruiz, por considerar que são duas peças fundamentais   titulares vincados no onze dos leões): Carlos Mané, Hernán Barcos e Teo Gutiérrez.

Na minha opinião, apesar de descer alguns furos no que diz respeito a qualidade e a regularidade, creio que Carlos Mané deveria ser o escolhido para substituir Slimani no trio atacante do Sporting. Hernán Barcos mostrou que vem com uma falta de ritmo gigante e, com o campeonato tão apertado como está- afinal, só levamos três pontos de vantagem sobre o segundo classificado-, qualquer deslize poderá ser fatal para a conquista do título de campeão nacional.

É difícil, e para os jogos que agora temos, singrar, tendo em conta que o jogador chegou no mercado de inverno e sem ter tempo para se inteirar de todas as tácticas e formas de jogar dos seus companheiros. Se continuar a trabalhar bem nos treinos, poderá ser uma aposta ganha. No entanto, ainda não me convenceu em termos de merecer lugar no onze.

Slimani é o melhor marcador do Sporting, no entanto é necessário pensar que não ficará para sempre no clube Fonte: Sporting CP
Slimani é o melhor marcador do Sporting, no entanto é necessário pensar
que não ficará para sempre no clube
Fonte: Sporting CP

Por outro lado, Téo Gutiérrez desiludiu muito esta época. Deixou-se ultrapassar por alguns reforços e, neste momento, não consigo perceber a atitude de Jesus ao deixar que ele comece de início. É lento, demora na tomada de decisão e prejudica o Sporting no momento do ataque, passando o jogo inteiro muito apagado e, aparentemente, sem motivação para influenciar no resultado do jogo. Apesar de achar que teria muito para oferecer aos leões, acabo por ter que admitir que o melhor seria a sua venda, em vez de Montero.

Este último jogador, apesar de já não jogar por nós ( e com alguma surpresa pelo caminho), seria para mim o substituto ideal para o argelino. Sempre mostrou que tinha potencial a ser desenvolvido por Jorge Jesus, que infelizmente preferiu substituí-lo por outros que, na minha opinião, tinham menos a dar. Outra coisa importante sobre o Fredy é o gosto que mostrou sobre a sua passagem nos leões, na vontade sincera que mostrava cada vez que entrava em campo e a ligação que continua a demonstrar ao clube e ao desejo de ser campeão.

Já que se está a falar de jogadores que já não estão no clube, creio que Tanaka iria acabar também por cumprir o seu trabalho caso fosse chamado para a posição. Apesar de este ano não ter jogado muito, mostrou que tinha argumentos que podiam deixar os adversários em problemas, procurando sempre o golo com a mesma vontade de Slimani (e por vezes a refilar menos que este).

Com o japonês, fecho assim o top 3 de substitutos de Slimani: Fredy Montero, Tanaka ou Carlos Mané. Por fim, Barcos e Teo. Acabámos por deixar sair os que mais se assemelhavam ao argelino, ficando assim com alguns apuros para a ausência do mesmo.

Assim, apesar de a nossa força estar nas alas, é importante começar a treinar os jogadores para substituir Slimani, tanto caso aconteçam castigos, bem como para a sua possível saída, porque convenhamos, infelizmente não acredito que fique no Sporting durante muito mais tempo. Estamos a ser “slimanicêntricos”, é certo, porque este acabou por nos habituar a exibições muito boas, mas vamos a tempo de mudar e resolver de uma vez por todas os problemas do nosso ataque porque acabamos por ter um meio campo que demonstra classe e segurança e a defesa menos batida do campeonato.

É então preciso ser “Sportingcêntricos”.

Foto de Capa: Sporting CP

Comentários