rugir do leao duarte

O Sporting defrontou hoje o Boavista num jogo a contar para 29ª jornada da primeira liga portuguesa; A ultima vez que o Boavista visitou o estádio de Alvalade datava da época de 2007/2008, encontro que os verde-e-brancos venceram por 2-1. Ambas as equipas estão bastante tranquilas na tabela classificativa: o Sporting dificilmente verá o seu terceiro lugar ser alterado e o Boavista tem a manutenção praticamente garantida. Estavam, assim, reunidas todas as condições para um bom jogo de futebol.

Marco Silva viu-se, mais uma vez, obrigado a mexer na equipa em virtude de algumas ausências forçadas: Cédric, que havia ficado de fora nos últimos jogos, rendeu Miguel Lopes, este ultimo a par com alguns problemas físicos ficou de fora da convocatória; Tobias Figueiredo saltou para o 11 titular como consequência da expulsão de Ewerton na deslocação ao Bonfim. Contudo, nem todas as alterações foram forçadas; Rossel e Tanaka, em virtude das boas exibições do passado fim-de-semana, mantiveram-se no onze, “sentando”, desta forma, William Carvalho e Slimani. Por sua vez, Petit, treinador do Boavista, promoveu bastantes alterações relativamente à equipa que habitualmente costuma atuar.

O Sporting dificilmente poderia ter desejado um começo melhor: nem 30 segundos estavam decorridos, e Adrien Silva, após um erro crasso de Filipe Sampaio, não facilitou e colocou o Sporting em vantagem. Todavia, e apesar do golo madrugador, a equipa leonina entrou pouco agressiva e com os níveis de concentração muito em baixo.

Afonso Figueiredo, com um remate bastante perigoso à entrada da grande área, deixou o primeiro aviso; Depois, e no seguimento de uma perca de bola do meio-campo leonino, o Boavista numa excelente transição ofensiva empatou o jogo por intermédio de Zé Manuel. De resto, foi uma primeira parte bastante pouco conseguida por parte do Sporting: muitos passes errados, lenta circulação de bola … Marco Silva, ainda no decorrer da primeira-parte, tentou agitar a partida e retirou Rossel das quatro linhas, lançando Slimani; Contudo, sem quaisquer efeitos práticos.

Mesmo antes dos jogadores irem para o descanso, Tobias Figueiredo recebe ordem de expulsão após ter derrubado Leozinho quando este seguia sem oposição na direção da baliza guardada por Rui Patrício. William Carvalho substituiu Tanaka para refazer o quarteto defensivo leonino.

Na segunda parte, o jogo pouco se alterou; Apesar do Sporting ter entrado ligeiramente melhor, as oportunidades de golo escasseavam. Todavia, e na sequencia de um excelente cruzamento de Carrillo, o matador argelino, Slimani, voltou a colocar o Sporting em vantagem. Daí em diante, o jogo ficou bastante partido e o Sporting ainda passou por alguns calafrios. De realçar a expulsão de Filipe Sampaio, que viu 2 amarelos num minuto.

Em notas finais, o Sporting voltou a não realizar uma boa partida. Mesmo tendo em conta que o grande objetivo passa pela final da Taça de Portugal, a equipa de Alvalade tem a obrigação de fazer mais e melhor. Relativamente ao Boavista, confesso que não sou apreciador deste tipo de futebol; A equipa de Petit, diga-se, alias, à imagem do seu treinador, limitou-se a “estacionar o autocarro” e bola para a frente; Este tipo de futebol afasta as pessoas dos estádios. Uma menção honrosa para Afonso Figueiredo, que foi dos melhores do conjunto boavisteiro.

A Figura

Adrien Silva –  Já aqui critiquei o internacional português. Contudo, e muito provavelmente devido ao descanso que tem tido, o rendimento de Adrien Silva tem vindo a melhorar bastante. Hoje, juntamente com Slimani, realizou mais uma excelente exibição.

Fora-de-jogo

Boavista – O Boavista apresenta um futebol medíocre, mesmo tendo em conta a fraca qualidade do seu plantel. Este tipo de futebol, como já referi, afasta às pessoas dos estádios. A classificação em que se encontra, talvez fruto de semana após semana jogar num relvado sintético, não é inteiramente justa.

Foto de capa: FPF

Comentários