rugir do leao duarteO Sporting entrava para o jogo com o Penafiel, ultimo classificado, com a obrigatoriedade de vencer. Não tendo em vista diminuir a distância para o Porto, mas, na minha opinião, sobretudo aproveitar a derrota caseira do Braga e dilatar a vantagem para 4 pontos. Pois bem, foi isso mesmo que aconteceu.

A equipa de Marco Silva, que lançou Carlos Mané no 11 inicial ao invés de Carrillo, entrou bastante bem no encontro; Decorridos 10 minutos de jogo, o Sporting já liderava por 2-0 (William Carvalho e Slimani). Quando tudo fazia prever uma noite bastante tranquila, eis que, após passe errado de Slimani, Tobias Figueiredo é “obrigado” a fazer falta e recebe, corretamente, ordem de expulsão. Na sequência, e num lance onde Rui Patrício não está isentou de culpas, o Penafiel reduz a vantagem verde e branca.

Quanto todos esperavam a estreia de Ewerton, como consequência da expulsão do jovem Tobias, eis que, Marco Silva, numa decisão, a meu ver, aberrante, decide colocar William Carvalho ao lado de Paulo Oliveira no centro da defesa. A falta de experiencia do internacional português naquela posição, bem sei que nas camadas jovens já tinha por lá andado, e sobretudo a necessidade de Ewerton, pressupondo que será a 1ª opção, ganhar minutos tendo em conta a difícil deslocação à Madeira já na próxima jornada são alguns dos motivos para não conseguir compreender o treinador leonino.

Mas, e justiça seja feita, o sábio é aquele que aprende com os erros; Consequentemente, Marco Silva retirou Adrien Silva e lançou Ewerton, em estreia pelo Sporting, refazendo assim o centro da defesa. A equipa de alvalade melhorou com as alterações feitas, mas o golo tardava. Já com Carrillo em campo, Nani respondeu de forma perfeita ao cruzamento do peruano e colocou justiça no marcador. Até ao fim do encontro ainda houve tempo para dois jogadores do Penafiel serem expulsos, um deles, o primeiro, numa decisão incorreta por parte da equipa de arbitragem.

Gostaria apenas de destacar a reação de Nani aquando da sua substituição; Numa primeira fase pontapeando a bola e, posteriormente, atirando o colete para o chão após Paulinho, roupeiro do Sporting, lhe o ter dado. No Sporting Clube de Portugal não há estrelas e muito menos se toleram faltas de respeito, independentemente do valor que estes possam trazer, como é o caso, para a equipa principal.

Anúncio Publicitário

Posto isto, e em conclusão, foi uma vitória bastante sofrida e que poderia ter sido resolvida mais cedo caso Marco Silva tivesse lançado Ewerton, que até deu excelentes indicações, a tempo e horas. Contudo, mesmo em superioridade numérica, pareceu sempre uma questão de tempo até que o Sporting chegasse à vitória. O esforço, dedicação, devoção e glória estiveram hoje bem presentes no relvado do Alvalade XXI.

Figura:

João Mário/William Carvalho – A dupla portuguesa, formada em alvalade, foi a grande dinamizadora de toda a manobra ofensiva do Sporting. Excelente momento de forma dos internacionais portugueses

Fora de jogo:

Marco Silva/Nani – Marco Silva reagiu tarde e a más horas. As suas indecisões iam custando, mais uma vez, pontos em casa; A reação de Nani é inaceitável; Como disse, no Sporting não há estrelas, mas sim homens.