Anúncio Publicitário

Na passada sexta-feira, poucas horas antes do início da partida do Sporting Clube de Portugal frente ao FC Paços de Ferreira, elementos das claques leoninas receberam o autocarro da equipa à chegada ao Estádio José Alvalade XXI. Mais uma vez, a “escumalha” que tantos criticam esteve presente no apoio à equipa.

A nova onda de apoio à equipa principal do Sporting Clube de Portugal, “onde vai um vão todos”, denominada depois das palavras de Rúben Amorim na conferência de imprensa, após o empate em Famalicão, é o espelho da união que se criou pelos bons resultados no futebol. A equipa joga bem e não há dúvida de que demonstra um enorme espírito vencedor e de unidade.

Anúncio Publicitário

Ora, esta união da equipa tem de passar também para os adeptos do clube. A Juventude Leonina é o Diretivo Ultras XXI realizaram uma excelente iniciativa que, aliás, tem vindo a ser recorrente. Os dois conjuntos demonstraram o seu apoio a um grupo de jogadores que merecia ter milhares de sportinguistas a apoiá-los no reduto do leão.

Os adeptos são parte integrante da festa que apaixona milhões de pessoas
Fonte: Sporting CP

Há muita gente que critica as claques do Sporting Clube de Portugal, principalmente depois dos incidentes que ocorreram em Alcochete. Porém, são elas que se juntam e, mesmo quando não é possível o comparecimento dentro dos estádios portugueses, fazem questão de prestar o seu apoio aos atletas. Eles estão lá, mesmo quando mais ninguém aparece. Malditas sejam estas claques!

Qualquer tipo de violência é injustificável. Quem comete crimes, deve ser punido. No entanto, não se pode apagar parte da história do Sporting Clube de Portugal. As claques leoninas fazem parte do percurso do clube de Alvalade e, como tal, têm de ser respeitadas. O revisionismo e negacionismo histórico são erros graves, quer seja no futebol, quer seja na política.

Posto isto, e agora falando um pouco em tom de desabafo, estou ansioso para que os adeptos possam voltar aos estádios. Sem eles, o futebol perde muito do seu brilho, muito do seu encanto. Um clássico ou um dérbi sem os adeptos a aquecerem o tradicional ambiente escaldante passa só a ser mais um jogo de treino. Respeitem os adeptos, pois eles são parte importante do desporto que tanto amamos.

Artigo revisto por Diogo Teixeira

Anúncio Publicitário

1 COMENTÁRIO

  1. Num artigo que defende a Juventude Leonina é engraçado ler-se a frase ”O revisionismo e negacionismo histórico são erros graves”. Parece-me ser um caso de negacionismo alcochetense. O Sporting não são as claques, jamais serão as claques. O Sporting são os Sportinguistas. Os que já choraram e riram com o clube, os que já ficaram sem apetite depois de um jogo mal conseguido, os que foram pela mãos dos pais e avós aos estádio conhecer de que é feita esta malha de gente ou os que foram com amigos porque não tiveram a sorte de nascer em seios familiares Sportinguistas. Eu não sou negacionista. Não me esqueco de ter ido para a curva, não me esqueço de lá ter sido feliz, mas também não me esqueço do meu clube quase ter acabado porque um grupo de fanáticos foram tentar fazer em Alcochete o mesmo que se faz há anos no Olival a mando de um lunático que queria muito ser igual a um senhor que só não foi condenado por corrupção porque a justiça em Portugal não existe. Espero que de facto não existam negacionistas nem revisionistas dentro da massa associativa do Sporting Clube de Portugal… Principalmente para que Alcochete nunca mais se repita. Saudações Leoninas

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome