O final de época algo turbulento da temporada passada determinou que a equipa do Sporting disputasse a Liga Europa na época atualmente em curso. A formação leonina, agora comandada por José Peseiro, encontrava-se no pote dois. “Sporting falha cabeças-de-série” escrevia o Jornal Record na página 19 da sua edição de 31 de agosto. Esse Pote era também constituído pelo Ludogorets, Copenhaga, Olympique de Marselha, Celtic, PAOK, Milan, Genk, Fenerbahçe, Krasnodar, Astana e Rapid de Viena. Os cabeças-de-série encontravam-se no Pote 1. Sevilha, Arsenal, Chelsea, Zenit, Bayer Leverkusen, Dínamo Kiev, Besiktas, Red Bull Salzburg, Olympiacos, Villareal, Anderlecht e Lazio eram os “tubarões” que poderiam cruzar-se no caminho do Leão.

A equipa leonina tem tudo para seguir em frente na fase de grupos da Liga Europa
Fonte: Sporting CP

O sorteio da fase de grupos para a Liga Europa ditou que a única formação portuguesa em competição ficasse no grupo E juntamente com o Arsenal de Inglaterra, o Qarabag do Azerbeijão e o Vorskla Poltava da Ucrânia. Fica, portanto, num grupo acessível se exceptuarmos o Arsenal, que se afirma como candidato à vitória da competição. Os outros dois emblemas são praticamente desconhecidos no futebol europeu, confirmando-se a supremacia do Sporting. Além disso, se os leões jogarem ao nível que jogaram na época passada nas competições europeias têm tudo para fazer uma excelente figura diante dos ingleses e, quem sabe, lutar pelo primeiro lugar no grupo. Acrescente-se que a equipa londrina ainda se encontra numa fase de adaptação ao novo técnico, Unai Emry, após a dinastia de Wenger em terras de Sua Majestade ao serviço dos Gunners.

Apesar da “luz verde” que o clube de Alvalade tem para a passagem à próxima fase, todos reconhecem que Sporting e Liga Europa têm aquela relação de amor-ódio de alguns casais: por um lado, o amor a uma competição onde esteve muito bem em 2005, alcançando a final, por outro, o ódio por não conseguir, em pleno estádio Alvalade XXI, levar de vencida a formação do CSKA de Moscovo nessa mesma final. Curiosamente, era também Peseiro o treinador dos Leões. Até que ponto não estará também ele assombrado por esses fantasmas da final de 2005?

Foto de Capa: Sporting CP

Artigo revisto por: Beatriz Silva

Comentários