Anúncio Publicitário

sporting cp cabeçalho 1Sporting CP e CS Marítimo empataram esta noite a zero, em jogo a contar para a primeira jornada da Taça CTT. A meio da semana, e em dia de trabalho, os sportinguistas (ainda que muito menos, 22 mil) não faltaram e compareceram para assistir a algumas estreias e muitas novidades no onze titular: Salin, Ristovski e Mattheus Oliveira estrearam-se de leão ao peito em jogos oficiais, enquanto que apenas Iuri Medeiros e Alan Ruiz mantiveram a titularidade face ao jogo do último sábado, frente ao Tondela.

Estas alterações nas equipas refletiram-se, de resto, nos primeiros vinte minutos de jogo: reduzido fluxo atacante, fraca intensidade, com ambas as equipas a não quererem arriscar. O jogo só mexeu pela primeira vez ao minuto 18′, e logo com duas ocasiões de perigo. Primeiro foi Petrovic, que cabeceou à trave da baliza de Abedzadeh na sequência de um canto; e depois foi Doumbia, a rematar de primeira, rasteiro e ao lado, após bom cruzamento da esquerda.

O jogo só voltaria a mexer dez minutos depois: Eber Bessa fez o primeiro remate do Marítimo à passagem da meia hora, com Salin a encaixar facilmente; enquanto que Doumbia voltava à ameaçar segundos depois, com mais um remate, desta vez de cabeça, a passar por cima da baliza insular.

Anúncio Publicitário

O filme da primeira parte não teve muito mais para mostrar: um jogo pastelão, sem grande organização nas ideias, e demasiado inflamado – foram mais as picardias do que os remates às balizas de Salin e Abedzadeh. Foram assim 45 minutos a pedir velocidade e entrosamento (talvez escondidos no banco), e com Mattheus Oliveira e Piqueti a serem os melhores de cada equipa.

A segunda parte terminou como a primeira: muito lenta e pouco inspirada.
A segunda parte terminou como a primeira: muito lenta e pouco inspirada.

A segunda parte começou com ambas as equipas a quererem apagar a má primeira parte. O Marítimo ameaçou logo nos primeiros segundos, com um remate torto a sair longe, mas foi o Sporting quem esteve mais perto do golo: primeiro num quase autogolo de Gamboa, com grande defesa de Abedzadeh; depois com Doumbia, numa grande jogada em que tira o guardião maritimista do lance e apenas vê o golo negado por Drausio, com um fantástico corte; por fim com Iuri Medeiros a rematar à entrada da área, facilmente encaixado pelo guarda-redes iraniano do Marítimo. Mas os insulares não ficaram a ver, e responderam com Piqueti a obrigar Salin a voar, na melhor ocasião de golo da equipa de Daniel Ramos.

Quem tivesse visto a primeira parte da partida acharia que seria um jogo diferente. Doumbia e Alan Ruiz arriscaram novamente com dois remates por cima, já apoiados por Acuña e Podence, que entraram para os lugares de Iuri e Mattheus, respetivamente. E o certo é que ambos entraram de imediato em ação, com o argentino a cruzar e Podence a responder, no meio círculo, com um remate colocado defendido por Abedzadeh.

A partir daqui e até final da partida, o jogo retomou a velocidade-cruzeiro da primeira parte, quebrando completamente. Nem mesmo os remates de Doumbia – cruzado -, ou de Bruno Cesar – quase a sair pela linha lateral – mexeram com o jogo, que recuperou a lentidão e falta de inspiração inicial.

No fim, Sporting e Marítimo anularam-se em mais um recomeço de Taça CTT. Este foi o segundo jogo oficial que não terminou em vitória para o Sporting esta epoca, enquanto que o Marítimo continua o bom momento de forma, empatando em Alvalade.

Anúncio Publicitário