Anterior1 de 3Próximo

sporting cp cabeçalho 1Depois do jogo de ontem frente ao Fenerbahçe que “inaugurou” a sequência de jogos que o Sporting vai enfrentar no seu estágio na Suíça foi a vez da equipa de Alvalade encontrar o Valência, equipa do país vizinho e, teoricamente, um adversário mais complicado do que a equipa turca. Relativamente ao jogo do dia anterior, o treinador Jorge Jesus promoveu apenas três alterações no onze inicial ao deixar Petrovic, Alan Ruiz e Bruno César no banco e ao colocar em campo Battaglia, Podence e Doumbia, o reforço mais sonante até agora e também aquele que foi o “herói” do primeiro jogo de preparação da nova época.

Apesar de ser um jogo típico de pré-época, onde ambas as equipas ainda estão a afinar agulhas, já é possível ir tirando algumas conclusões em relação aos processos defensivo e ofensivo e aquilo que Jorge Jesus pretende para cada jogador. Nos primeiros quinze minutos de jogo, o Sporting teve especial dificuldade em sair a jogar e pouco passava dos dez minutos quando o Valência criou a sua primeira grande oportunidade por Eugeni que rematou de fora da área com a bola a embater no poste da baliza leonina. Depois de mais duas tentativas claras da equipa espanhola, o chileno Fábian Orellana inaugurou o marcador, pouco passava dos vinte minutos de jogo. Pouco tempo depois, Rodrigo, avançado do Valência (e conhecido do campeonato português e de Jorge Jesus) voltou a marcar para os espanhóis e o resultado fixou-se em 2-0 para não mais se alterar até ao intervalo. A partir daí, Podence foi tentando dar uso à sua velocidade mas raramente conseguiu ser bem sucedido, tal como Iuri Medeiros que apesar de alguns bons pormenores continua a ter dificuldades em decidir bem no último passe. O reforço Doumbia mostrou-se bastante ativo no ataque muitas vezes na procura da bola. O Sporting ainda conseguiu introduzir a bola na baliza adversária mas o golo foi anulado por fora-de-jogo do holandês Bas Dost.

Na segunda parte, o Valência trocou toda a sua equipa e o Sporting trocou metade dos jogadores que haviam iniciado a partida. Coates, Mathieu e Coentrão na defesa deram lugar a André Pinto, Tobias Figueiredo e Jonathan Silva, no meio-campo Iuri Medeiros e Bruno Fernandes cederam os seus lugares a João Palhinha e Matheus Oliveira e na frente, Doumbia saiu para a entrada de Alan Ruiz. O jogo não ganhou grandes contornos para além daquilo que se tinha visto na primeira parte e o Sporting continuava a ser uma equipa intermitente que, de vez em quando, chegava à baliza do Valência, ainda que sem perigo de maior. Aos 55 minutos de jogo, Jorge Jesus fez mais três substituições: Piccini, Bas Dost e Podence saíram para as entradas de André e Francisco Geraldes e do brasileiro Bruno César.

Fonte: Valência CF
Fonte: Valência CF

A partida continuava e as equipas jogavam a ritmo baixo e ainda com poucas ideias nos seus processos ofensivos. No entanto, o Valência foi sempre melhor nesse capítulo e acima de tudo foi mais eficaz. Passada a hora de jogo, Rafael Amir voltou a ameaçar a baliza de Azbe Jug mas a bola passou ao lado. O Valência não precisou de muito mais tempo para marcar o terceiro e último golo do jogo depois de Nacho ter tirado um “coelho da cartola” que lhe permitiu passar com relativa facilidade por André Geraldes e Bruno César antes de rematar cruzado para o fundo das redes do Sporting. O marcador chegava ao 3-0 e ficava cada vez mais patente que o Sporting iria sofrer a sua primeira derrota nesta pré-temporada. Até ao fim da partida, Gelson Dala e Jovane Cabral ainda entraram em campo mas sem tempo para mostrarem as suas qualidades. O Valência ainda teve nova oportunidade para aumentar a vantagem mas sem sucesso.

Neste segundo jogo, é possível perceber que Jorge Jesus já terá o seu quarteto defensivo bem definido, com Piccini (se entretanto não chegar outra opção mais viável), Coates, Mathieu e Coentrão a figurarem-se como os “naturais” titulares para essa zona do terreno. A meio-campo ainda existem muitas dúvidas – para além da certeza de que ainda faltam os internacionais e da incerteza daquilo que o mercado poderá ditar em relação a eles – e, por isso, todas as alternativas têm sido testadas. Battaglia parece ser uma opção a William Carvalho mas Petrovic tem mostrado que também quer continuar no plantel. Por outro lado, Matheus Oliveira parece ser uma clara alternativa a Adrien Silva (depois de Bruno Fernandes, que está claramente em vantagem para alcançar esse estatuto de substituto do capitão). Com a chegada de Doumbia, que tem sido testado a segundo avançado e ponta-de-lança, Podence perdeu espaço nas costas de Bas Dost e, por isso, Jorge Jesus “descaiu-o” para as alas onde pode dar uso à sua estonteante velocidade. O jovem português Iuri Medeiros tem mostrado alguma da sua qualidade mas ainda não atingiu o patamar de preponderância que alcançou no Moreirense e no Boavista, sendo que, se continuar assim, é possível que a solução passe pelo empréstimo ou pela venda definitiva. Francisco Geraldes parece ter cada vez mais o seu lugar “tapado” sobretudo com a chegada dos novos reforços meio-campistas.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários