Anterior1 de 4Próximo

Na 13.ª jornada da Primeira Liga, o Sporting CP recebeu e bateu o Moreirense FC pela margem mínima. Luiz Phellype saiu do banco para resolver uma partida que nem sempre teve motivos de grande interesse e que acaba por valer mais três pontos aos comandados de Jorge Silas.

O Sporting começou a partida com mais bola, a sair a jogar com muita ponderação e alguma classe perante um Moreirense que ia jogar muita na expetativa e à espera de um erro para causar pânico na defesa leonina. O primeiro lance de perigo foi da autoria de Jérémy Mathieu aos 8’ num livre descaído para a esquerda em que a bola saiu por cima da baliza de Mateus. Dois minutos depois iria-se mesmo gritar ‘Golo!’ em Alvalade mas a festa não durou muito tempo, já que Borja estava adiantado e o VAR anulou o tento de Bolasie.

O golo anulado não fez quebrar a procura dos leões pelo tento inaugural, e que o diga Bolasie que voltaria a estar perto de marcar ao minuto 20, em que apareceu sozinho na área e cabeceou para uma defesa atenta de Mateus. Os visitantes responderam pouco depois por Luther Singh que, no frente a frente com Maximiano, não foi capaz de marcar. Na sequência do lance, Luís Neto acabou por sair lesionado – chocou com o atacante sul-africano e o guarda-redes português – e foi rendido por Sebastián Coates.

À passagem do minuto 38, Jesé Rodríguez livrou-se bem da marcação e em zona frontal rematou para uma defesa espetacular de Mateus, que voltava a estar em bom plano e a manter o nulo. Na jogada seguinte foi a vez de Bruno Fernandes tentar a sua sorte mas viu a bola a ir por cima, depois de ter sido o próprio a começar e a finalizar o lance. O Sporting começava a aumentar a pressão em busca do golo que lhe desse a vantagem no marcador antes do descanso, contudo o 0-0 foi imperial e não se alterou.

O segundo tempo começou exatamente da mesma forma como o primeiro: aos 49’, Jérémy Mathieu foi o autor do primeiro lance de perigo outra vez num livre direto, mas desta vez a bola foi ao poste da baliza de Mateus. Os comandados de Silas estavam a ter mais bola e a tentar furar uma compacta defesa do Moreirense que não estava a dar grandes espaços à equipa da casa.

Luiz Phellype foi lançado ao minuto 66 por Silas e a aposta foi justificada aos 70’: Mathieu tirou um belo cruzamento ao qual o avançado brasileiro respondeu bem de cabeça e fez assim balancear as redes da baliza de Mateus, que ainda se esticou para impedir o quarto golo do número 29 dos leões na Liga mas sem sucesso. Ao golo sofrido, veio juntar-se mais uma contrariedade para Vítor Campelos: Iago Santos viu o segundo cartão amarelo e consequente ordem de expulsão.

O momento do golo de Luiz Phellype
Fonte: Carlos Silva/Bola na Rede

Mesmo com menos um, o Moreirense não baixou os braços e foi à procura de ainda chegar ao empate e, nos minutos finais os papéis inverteram-se, já que o Sporting estava a limitar-se a gerir a escassa vantagem, o que acabou por acontecer.

Com uma exibição que não convenceu os seus adeptos, o Sporting CP conseguiu ultrapassar mais um obstáculo e está agora a um ponto do FC Famalicão, que se encontra no terceiro lugar da classificação. Os leões venceram assim o último jogo que disputaram no seu estádio em 2019, uma vez que só voltam agora a jogar em Alvalade no próximo ano e logo frente ao eterno rival FC Porto. O Moreirense FC continua sem ganhar fora para o campeonato e ocupa o 12.º posto.

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES

Sporting CP: Luís Maximiano (GR), Cristián Borja, Jérémy Mathieu, Luís Neto (Sebastián Coates, 27’), Stefan Ristovski, Idrissa Doumbia, Wendel, Bruno Fernandes, Luciano Vietto (Rafael Camacho, 79’) Jesé Rodríguez (Luiz Phellype, 66’) e Yannick Bolasie

Moreirense FC: Mateus Pasinato (GR), João Aurélio, Iago Santos, Steven Vitória, Abdu Conté, Fábio Pacheco, Pedro Nuno, Filipe Soares (Alex Soares, 70’), Luther Singh, Luís Machado (Bilel Aouacheria, 83’) e Fábio Abreu (Nenê, 86’)

Anterior1 de 4Próximo

Comentários