Anterior1 de 3Próximo

Cabeçalho Futebol FemininoO sol não apareceu mas os sportinguistas estiveram presentes para ver a estreia da equipa de futebol feminino no relvado de Alvalade. À entrada para este jogo, Sporting e Braga têm os mesmo pontos e dividem a liderança da Liga Allianz – com vantagem para as minhotas devido aos golos marcados.

A primeira parte começou morna, com as duas equipas a tentar ganhar o meio-campo para daí partirem ao ataque às balizas. Mas aos 19 minutos, as protagonistas deixaram de estar no relvado. Os apoiantes das duas equipas, ainda que bem separados, envolveram-se em confrontos que não chegaram a ser físicos mas que agitaram o ambiente em Alvalade. Pena que num dia tão simbólico e tão importante para o futebol feminino português, os ânimos não tenham sido controlados.

O Sporting tentava dominar e mantinha a posse de bola durante a maior parte do tempo, mas o Braga chegava com mais perigo à baliza de Patrícia Morais. Preponderantemente pela ala direita, o ataque bracarense mostrou-se rápido nas transições ofensivas e focado no golo. Joana Marchão, lateral esquerda das “leoas”, foi importantíssima na defesa verde e branca e manteve a bola sempre longe das redes de Patrícia.

E foi a própria Joana Marchão que teve nos pés o lance mais perigoso da primeira parte. Depois de uma falta que originou o primeiro cartão amarelo do jogo, mostrado a Melissa, a jovem jogadora tirou da manga um remate fortíssimo que só parou nas mãos de Rute Costa. Grande livre da n.º 5 sportinguista, grande defesa da guarda-redes minhota.

Mas ainda antes do intervalo, o Braga também esteve perto de inaugurar o marcador. Ottillia rematou à meia-volta já dentro da área e a bola tirou tinta ao poste da baliza leonina. Mas o nulo não saiu do placard e as duas equipas foram para o intervalo empatadas a 0.

A segunda parte começa tal como a primeira havia começado. As duas equipas ainda tímidas, a tentar ao máximo não cometer erros e salvaguardar as suas balizas. Contudo, o Sporting ia tentando controlar os acontecimentos e ia infiltrando as alas no meio-campo adversário.

Aos 68 minutos, Andreia Norton entra para o lugar de Claudia Garcia, que sai lesionada, e mexe com o jogo. A internacional portuguesa entrou concentrada na baliza e na velocidade, e impôs o seu ritmo às minhotas, que acordaram com a substituição. Mas a felicidade não estava do lado de Norton, que acabou por se lesionar poucos minutos depois. Saiu desolada e notoriamente desiludida.

Com a saída de Andreia Norton, o jogo voltou àquilo a que já nos tinha habituado. E aos 72 minutos, o Sporting mostrou o seu melhor futebol. Uma jogada que nasce na ala esquerda, com Ana Borges, atravessa toda a área defensiva do Braga e vai parar a Solange Carvalhas. A recém-entrada Ana Capeta aparece para ajudar e acaba por cruzar uma bola que é aliviada pela central bracarense e sobra para Fátima Pinto. A média leonina remata no ar mas Rute Costa corresponde com mais uma grande defesa.

Os últimos dez minutos de jogo pertenceram inteiramente à equipa da casa, que ainda desfrutou de duas grandes ocasiões de golo. Rita Fontemanha é a protagonista das duas e, das duas vezes, não acertou na baliza.

Mas o jogo só acaba quando se ouve o apito final. Cinco minutos de descontos, devido às inúmeras interrupções na segunda parte, deram origem a um penálti indiscutível a beneficiar o Sporting. Ana Borges entra na área com a bola dominada e Sílvia Rebelo derruba a avançada sportinguista.

Aos 94 minutos de jogo, Solange Carvalhas não desiludiu e executou de forma exímia a grande penalidade, que colocou o Sporting na frente do marcador. Mais um golo para a conta pessoal da melhor marcadora do campeonato: leva já 23.

Com esta vitória, a equipa de Alvalade isola-se na frente do campeonato, com três pontos de vantagem face ao Braga. Orgulhoso estará Bruno de Carvalho, que marcou presença no banco técnico leonino, ao lado de Nuno Cristóvão.

Rescaldo de Mariana Fernandes e Ana Cristina Silvério

Anterior1 de 3Próximo

Comentários