sporting cp cabeçalho 2

O Sporting CP venceu esta quarta-feira o Vitória SC por 1-0, em jogo a contar para a vigésima jornada da Primeira Liga. Após a conquista da Taça da Liga – a primeira da sua história – e motivados pelos empates de SL Benfica e FC Porto, os “Leões” sabiam que uma vitória era sinónimo de liderança isolada. Para isso, Jorge Jesus efetuou três alterações no onze inicial: reforçou o meio-campo com o músculo de Rodrigo Battaglia, retirando Bryan Ruiz e puxando Bruno Fernandes para a ala; potenciou a outra lateral com o regresso de Marcos Acuña, que substituiu Fredy Montero; e preferiu jogar pelo seguro, trocando Piccini, com queixas, por Ristovski.

Do lado vitoriano, Pedro Martins apenas mexeu duas peças na sua formação inicial: no ataque saiu Heldon – emprestado pelo Sporting – e entrou para o seu lugar Fábio Sturgeon, enquanto na zona defensiva Victor García foi substituído por Rafael Miranda.

Duas equipas históricas da Liga Portuguesa, num encontro tradicionalmente difícil para os “Três Grandes” e que começou com essa imagem: os primeiros trinta minutos da partida mostraram um duelo tático muito interessante, com o jogo muito aberto. O Vitória pressionava muito alto, com as linhas subidas, e criava dificuldades ao Sporting para sair para o ataque com bola controlada. Assim, as primeiras oportunidades foram partilhadas – a equipa vimaranense colecionava as mais perigosas, com um remate de João Aurélio defendido por Rui Patrício ao minuto treze e com um contra-ataque mortífero de Raphinha sete minutos depois; já o Sporting materializava o seu fluxo atacante pela presença infrutífera no meio-campo adversário, com a sua melhor chance a surgir apenas de um remate de Rúben Ribeiro para as bancadas.

No últimos dez minutos da primeira parte, ficou latente a falta de opções atacantes dos “Leões”. O seu jogo limitava-se às tentativas de cruzamento para Bas Dost – muito sozinho na área – sempre sem resultado. O Vitória aproveitava e em contra-ataque voltou a assustar, com remate de longe de Raphinha. A equipa da casa ainda respondeu com remates de Coentrão e William – os mais perigosos do primeiro tempo – mas ficava uma ideia assente: não havia ideias, criatividade, e Bas Dost, sozinho na área, não bastava para um Sporting desinspirado ganhar frente a um Vitória inteligente e organizado.

Anúncio Publicitário
O Vitória mostrou-se bem organizado na primeira parte, o que complicou a tarefa do Sporting Fonte: Bola Na Rede
O Vitória mostrou-se bem organizado na primeira parte, o que complicou a tarefa do Sporting
Fonte: Bola Na Rede

Para a segunda parte, Jorge Jesus, ciente de que era necessário fazer mais e melhor para conquistar os três pontos, fez entrar Montero para o lugar de Rúben Ribeiro no início dos segundos 45 minutos, de modo a ter mais presença na área vimaranense. Mas mal começou a segunda parte, o técnico teve de mexer novamente, e colocou Doumbia, tirando do campo o lesionado Bas Dost. O Sporting começou a pressionar a defesa adversária, e Acuña, aos 48 minutos, esteve perto de fazer o primeiro do encontro, embora o seu remate tenha sido inofensivo.

A equipa da casa ia dando mostras de querer chegar rapidamente ao golo: Doumbia, ao minuto 58, no frente-a-frente com Douglas, permitiu a defesa ao guardião adversário. Na última substituição do Sporting, Bruno César foi lançado em jogo, para atuar na ala direita e passando assim Bruno Fernandes a jogar no meio, atrás da dupla Montero-Doumbia. Aos 72 minutos, e após boa jogada coletiva, o remate de Bruno César embateu no poste da baliza de Douglas, para desespero dos adeptos sportinguistas. Acuña voltou a tentar a sua sorte ao minuto 82, num remate espontâneo e de primeira que obrigou Douglas a voar.

Foi o prenúncio para o que viria a surgir: no minuto seguinte e na sequência de um canto, Mathieu fez o primeiro golo do jogo e sossegou os adeptos. Para tentar voltar à situação de empate, Pedro Martins esgotou as suas substituições e colocou Rafael Martins no lugar de Rafael Miranda. Os últimos minutos iam ser frenéticos, com o Vitória a carregar à procura do empate e o Sporting a querer manter a bola longe da sua área, missão que foi bem-sucedida até ao apito do árbitro para o final do encontro.

Num jogo bastante difícil, o Sporting venceu pela margem mínima o Vitória de Guimarães, e assim salta para a liderança isolada da Primeira Liga.