Anterior1 de 3Próximo

O Sporting CP empatou em casa frente ao CD Tondela, em jogo relativo à oitava jornada da Liga NOS. Os “leões” fizeram um jogo absolutamente miserável e terem conseguido um ponto acabou por ser um milagre.

Jorge Jesus manteve o erro de manter Elias no onze inicial e o brasileiro mostrou, durante mais 45 minutos, que não é jogador para o Sporting. Se calhar, nem é jogador para a Liga NOS. É um jogador muito pouco inteligente, parece que nunca viu Adrien Silva jogar futebol, e tem sido sempre o décimo segundo jogador do adversário. Posto isto, é fácil perceber que o Sporting deu 45 minutos de avanço aos tondelenses. Tirando um remate de Gelson Martins ao poste no início da partida, os “verde e brancos” não mais criaram perigo. Foi de uma pobreza agoniante a primeira metade do Sporting. Schelotto estava “morto” fisicamente, Zeegelaar continua muito frágil, e o Sporting não conseguiu atacar pelas alas. Pelo meio, também foi impossível, dado que o Tondela jogou com toda a gente atrás da linha da bola e ninguém desequilibrava o esquema de Petit. André e Bas Dost não se conseguiram libertar dos defesas, Bryan Ruiz esteve desinspirado e Gelson Martins também não esteve muito melhor, apesar de ter sido o melhor na primeira parte. Elias foi pior que péssimo e o Sporting foi inoperante.

A juntar a isto, tivemos uma exibição absolutamente deplorável de Rui Costa, o árbitro. Teve um critério confrangedor na marcação de faltas e na amostragem de cartões amarelos e foi completamente conivente com o antijogo do Tondela que começou cedo. Uma conversa que continua a acontecer em Alvalade, jornada após jornada.

Na segunda metade, Jesus retirou Elias para colocar Bruno César, mas o “Chuta Chuta” também não esteve propriamente inspirado e o Sporting ficou na mesma. Os minutos passavam e ninguém sabia jogar na equipa leonina, à exceção de Gelson, o único a empurrar os “leões” para a frente. O Sporting não tinha ideias, não tinha nervos nem chama e o jogo foi um tremendo bocejo até ao golo do Tondela, apontado por por Jhon Murillo. Depois disso, muitos adeptos saíram do estádio, o Sporting começou finalmente a jogar com alguma rapidez, perante um Tondela que tinha os jogadores interessados em ficar deitados na relva e atirar bolas para fora. O Sporting conseguiu finalmente o empate no período de descontos, quando Joel Campbell chegou ao empate, após cruzamento de Gelson Martins, Do mal o menos, salvou-se um ponto. Outra coisa intrigante e também tremendamente irritante é ver as bolas paradas ofensivas do leão. Agora que temos Sebastián Coates, Bas Dost e Ruben Semedo, qual é a razão para não se baterem as bolas paradas para a área? Os livres não se batem com rodriguinhos, cerimónias e floreados, não resulta. Com jogadores como estes, é necessário meter bolas na área, em condições para os cabeceadores de excelência que temos.

Voltámos a ver em Alvalade o fantasma de épocas anteriores, quando o Sporting jogava de forma deplorável e com jogadores miseráveis, sem capacidade nem carisma para jogar no clube. Infelizmente, desse lote de jogadores ainda sobra Elias. Marvin Zeegelaar também esteve paupérrimo e Schelotto não esteve melhor. É preciso muito mais para ser campeão, Jorge Jesus sabe disso, e é bom que comece a atalhar caminho, para não ter os canhões apontados contra si.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários