Anterior1 de 4Próximo

No jogo que encerrou a décima jornada da Primeira Liga, o Sporting recebeu e venceu o Desportivo de Chaves por 2-1. No último jogo de Tiago Fernandes como técnico interino, os “Leões” queriam vencer e assim chegar ao segundo posto da classificação antes da paragem para as seleções, depois de terem visto o Sporting de Braga perder na ida ao Dragão. Já os “Flavienses” pretendiam pontuar fora, de forma a poder largar os lugares de despromoção da tabela classificativa, embora estando cientes de que a tarefa não se adivinhava fácil.

Na ressaca do empate fora frente ao Arsenal, Tiago Fernandes não mexeu muito na equipa, trocando apenas Diaby e Montero por Jovane Cabral e Bas Dost, respetivamente. Já Daniel Ramos alterou quatro jogadores do onze inicial face ao último jogo no campeonato, com o Desp. das Aves (derrota por 1-2), com os regressos de Maras, Luís Martins, Stephen Eustáquio e Perdigão.

A entrada dos atletas em campo ficou marcada pelo gesto de solidariedade dos jogadores do Sporting para com Rodrigo Battaglia, que se lesionou gravemente frente ao Santa Clara, usando uma camisola com o rosto e o número 16 do médio argentino, a desejar uma recuperação rápida.

O jogo começou a um bom ritmo, com o Sporting a querer assumir logo o controlo, embora com o Desp. Chaves a mostrar-se bem organizado defensivamente e sem ter medo de atacar a baliza de Renan Ribeiro, como foi prova da jogada de Luís Martins ao minuto 8, que, dentro da área, cruzou com perigo, mas não surgiu ninguém para rematar e Acuña limpou a jogada. Apesar da vontade, o conjunto leonino não conseguiu criar grandes oportunidades nos primeiros 15 minutos do encontro, devido à muita previsibilidade dos movimentos ofensivos, o que facilitava a vida aos visitantes.

Após alguma dificuldade em chegar à baliza do Chaves, o Sporting inaugurou o marcador ao minuto 23: numa bela jogada trabalhada pelo lado esquerdo, Acuña cruzou para Bas Dost, que se  livrou bem da marcação de Marcão, e, com um cabeceamento de cima para baixo, fez o seu primeiro golo para a Liga em Alvalade. Um bom movimento do avançado holandês para o seu futuro treinador Marcel Kaiser ver, que se encontrava nas bancadas do Estádio de Alvalade a assistir ao encontro.

O golo deitou um pouco abaixo os “Valentes Transmontanos”, que iam-se exibindo a um bom nível, mas o tento sofrido abalou a estratégia de Daniel Ramos e os jogadores começavam a dar mostras de alguma desconcentração, com falta de critério no último passe e as tentativas de ataque a serem prontamente travadas pela defesa sportinguista, pese embora ainda tenha colocado a bola dentro da baliza de Renan ao minuto 40, contudo o capitão Renan Bressan estava em posição irregular e o golo foi anulado. O Sporting teve perto de fazer o segundo perto do intervalo, por Jovane Cabral, após um erro de Marcão, com um remate a obrigar o guardião Ricardo a defesa apertada. Nada mais a acrescentar no filme da primeira parte, e o Sporting foi para o descanso com uma vantagem pela margem mínima.

O início do segundo tempo foi marcado por um ritmo intenso, com o Sporting a fazer uma boa circulação de bola por todo o terreno e o Chaves a fazer os possíveis para criar situações de perigo, como foi exemplo no minuto 52, em que Paulinho tirou um bom cruzamento do lado direito, valendo o corte providencial de Bruno Gaspar para canto.

A equipa da casa procurava dilatar a sua vantagem, e Bruno Fernandes tentou a sua sorte fora de área, ao minuto 60 e na sequência de um pontapé de canto, contudo a bola foi às malhas laterais da baliza flaviense. Os treinadores fizeram as primeiras substituições perto minuto 70: Diaby rendeu Jovane Cabral do lado sportinguista e Niltinho entrou para o lugar de Perdigão no lado visitante. Apesar da primeira mudança, Daniel Ramos foi forçado a ter de refazer a sua estratégia, um vez que Bruno Gallo foi expulso com um vermelho direto, após entrada sobre Marcos Acuña.

Mesmo a jogar com menos um, Daniel Ramos quis arriscar em busca de chegar ao empate, e fez uma dupla alteração: João Teixeira e William foram lançados em jogo, para os lugares de Bressan e Avto. E as mudanças pareceram ter o efeito desejado: o Desportivo de Chaves chegou ao empate, com um excelente golo de Niltinho, que não deu hipóteses de defesa de Renan Ribeiro. Os últimos 10 minutos do jogo ganhavam agora outra emoção.

Niltinho remata para o momento da noite em Alvalade
Fonte: Carlos Silva/Bola na Rede

No instante a seguir, o árbitro Tiago Martins apontou para a marca de grande penalidade, a favor da equipa da casa, após assinalar falta de William sobre Bas Dost. O próprio encarregou-se de fazer o segundo golo do Sporting – penálti clássico, com a bola para um lado e guarda-redes para o outro. Logo a seguir, o atacante holandês foi rendido por Montero.

Até ao apito final de Tiago Martins, o Sporting limitou-se a controlar a posse de bola e impedir o Desportivo de Chaves de sonhar com a conquista de um empate em Alvalade, conseguindo assim confirmar a vitória por 2-1.

O jogo terminou com a vitória para a turma de Alvalade, embora sem fazer uma exibição de gala. Com este triunfo, o Sporting salta para o segundo posto da classificação e está a dois pontos do líder FC Porto, ao passo que o Desp. Chaves continua na cauda da tabela classificativa, com apenas sete pontos conquistados em 10 jornadas disputadas.

Onzes Iniciais

Sporting CP: Renan Ribeiro; Bruno Gaspar; Mathieu; Coates; Acuña; Nemanja Gudelj; Miguel Luís; Bruno Fernandes; Nani (Misic 90’); Jovane Cabral (Abdoulay Diaby 67’); Bas Dost (Fredy Montero 85’)

GD Chaves: Ricardo; Paulinho; Maras; Marcão; Luís Martins; Stephen Eustáquio; Renan Bressan (João Teixeira 79’); Bruno Gallo; Perdigão (Niltinho 69’); Avto (William 79’); André Luís

Anterior1 de 4Próximo

Comentários