Anterior1 de 3Próximo

No relvado apresentaram-se duas equipas praticamente iguais àquelas que conseguiram vencer o seu jogo de estreia, sendo a única alteração nos 22 escolhidos a entrada do médio croata Josip Misic para o lugar de Petrovic na formação leonina, enquanto que Lito Vidigal manteve os mesmos 11 que venceram o Desportivo das Aves na jornada inaugural.

O Sporting entrou mais forte em campo e adiantou-se cedo no marcador, fruto de um rasgo individual de Nani, autor de um potente remate à entrada da área que só parou no fundo das redes do guardião sadino Cristiano. Nos primeiros dez minutos, mais concretamente aos nove, estava feito o primeiro golo do encontro. As bancadas do estádio José de Alvalade estavam mais uma vez muito bem compostas, num claro sinal de que os adeptos sportinguistas estão com a sua equipa num período conturbado a nível presidencial.

Quando nada o fazia prever, e após um erro monumental do guarda-redes francês Romain Salin, deixando a bola escapar, ficando esta à mercê dos atacantes vitorianos, o empate estava feito, após um golo aos 18 minutos do extremo Zequinha.

O Sporting acusou claramente o golo sofrido e demorou muito tempo a responder, ficando o resultado empatado até ao fim da primeira parte, com o Vitória Futebol Clube a criar as melhores ocasiões de golo, após ter alcançado o segundo tento do encontro.

Uma primeira parte frouxa da equipa orientada por José Peseiro, num jogo que parecia estar controlado nos primeiros 18 minutos, com o golo a aparecer relativamente cedo aliado a um certo conforto e domínio no jogo, mas que se complicou muito com o golo do empate.

Ao intervalo, houve uma troca de avançados no clube leonino, com a saída do holandês Bas Dost e a entrada do colombiano Fredy Montero.

A segunda parte mantinha o mesmo sentido da primeira, claramente desinspirada somente com alguns rasgos individuais de Nani (o outro grande desequilibrador, Bruno Fernandes, teve uma noite não).

Bruno Fernandes não teve uma exibição inspirada no jogo de hoje
Fonte: Sporting CP

Esta noite estaria reservada ao internacional português, que voltaria a marcar mais um golo, desta feita de cabeça após um grande cruzamento de Jovane Cabral aos 66 minutos, jovem lançado no decorrer da segunda parte.

Em suma, não foi um jogo brilhante do Sporting Clube de Portugal, longe disso, mas onde o objetivo mais importante ficou garantido, mais três pontos antes da visita ao Estádio da Luz, para encontrar o grande rival Sport Lisboa e Benfica na terceira jornada do principal escalão no futebol português.

 

Onzes Iniciais:

Sporting CP: Salin; Ristovski, Coates, Mathieu e Jefferson; Misic (Jovane Cabral) e Battaglia; Nani (Petrovic), Bruno Fernandes e Acuña; Bas Dost (Montero).

Vitória FC: Cristiano; Mano, Vasco Fernandes, Nuno Reis e Nuno Pinto; José Semedo, Costinha (Éder Bessa) e Ruben Micael (Alex); Zequinha (Berto), Mendy e Cádiz.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários