Anterior1 de 4Próximo

Sporting CP e Rio Ave FC encontraram-se para a 4.ª jornada da Primeira Liga, num jogo de muito reencontros. Os leões vinham de uma vitória em Portimão, onde alcançaram a liderança. Já os vilacondenses esmagaram no último jogo em casa o CD Aves, por isso, confiança não faltava. Jogo de reencontros porquê? Carlos Carvalhal, antigo treinador leonino em 2009/10, e Carlos Mané, transferido este ano para Vila do Conde vindo dos leões, voltavam a uma casa que bem conhecem.

Os jogadores leoninos entraram com uma faixa negra ao centro da camisola, com um hashtag (#TodosPelaAmazónia), numa bonita homenagem do Sporting CP ao que aconteceu na Floresta da Amazónia, no Brasil. No final do jogo, as camisolas usadas foram para a loja do clube para que fossem vendidas e para que todo o dinheiro revertesse para uma instituição cujo objetivo é preservar o grande pulmão do planeta Terra.

O jogo praticamente começou com uma grande penalidade a favor dos visitantes, a castigar uma falta de Coates sobre Mehdi Taremi. O árbitro recorreu-se do VAR para assinalar o castigo máximo, que Filipe Augusto converteu com toda a calma, dando assim uma vantagem madrugadora (minuto seis) ao Rio Ave. Os “leões” tinham agora de correr atrás do prejuízo, ainda para mais sabendo que o Famalicão tinha vencido na Vila das Aves e era o líder isolado, até o jogo terminar em Alvalade (e caso o Sporting não vencesse).

A reação leonina foi tímida e lenta, mas quando chegou pela primeira vez à baliza de Kieszek foi letal: numa jogada desenvolvida pelo lado esquerdo, a defesa vila-condense não conseguiu afastar a bola, que sobrou para o Bruno Fernandes fuzilar para o empate, marcando assim 50.º golo com a camisola do Sporting ao minuto 20. Quatro minutos, Bruno Fernandes, a passe de Raphinha, esteve perto de bisar, mas desta vez o guardião polaco conseguiu defender.

Apesar da iniciativa do jogo pertencer totalmente à equipa da casa, o Rio Ave estava a conseguir ter bola e fazê-la circular por todos os seus elementos mais ofensivos, o que estava de acordo com o que Carlos Carvalhal tinha dito na conferência de antevisão ao jogo, em que pretendia discutir a vitória em Alvalade.

Ao minuto 38, Vietto testou a atenção de Kieszek, num típico movimento de “fletir da ala esquerda para dentro” e rematar logo, contudo o número 1 do Rio Ave voltou a levar melhor. Até ao descanso, Wendel ainda marcou, mas o seu golo foi anulado por fora-de-jogo. O intervalo chegaria pouco depois com o marcador empatado a uma bola.

Começou a segunda parte e o Rio Ave entrou com vontade e também a dominar o jogo, mas foram os verdes e brancos que conseguiram mesmo marcar o golo da reviravolta.

Ao minuto 53, grande cruzamento do jovem português Thierry Correia, que passou a área vilacondense toda, depois apareceu Vietto, mas a bola embateu num jogador do Rio Ave. Se a defensiva vilacondense pensava que estava arrumado o lance… a bola acabou por parar aos pé de Luiz Phellype, que só teve mesmo de encostar para o golo. Estava feito o segundo do Sporting e consumava-se a reviravolta.

Após do segundo golo do Sporting, a equipa leonina baixou muito as linhas e era o Rio Ave que controlava a posse de bola. Porém, os vilacondenses não conseguiam ligar a defesa com o seu ataque e acabava muitas vezes por tentar o jogo aéreo para o ataque, sem grande sucesso. A partida entrava numa fase muito aborrecida e havia pouco, ou quase nada, para escrever sobre o mesmo.

Ao minuto 81, um livre de Bruno Fernandes no lado esquerdo do ataque que levou perigo à baliza de Kieszek. O guarda-redes polaco defendeu a soco e depois a defesa vilacondense tratou do resto. Passou o perigo para a baliza do Rio Ave e o resultado mantinha-se igual.

Aos 83 minutos, mais um balde de água (MUITO) fria em Alvalade. Novo penalti marcado para o Rio Ave e, mais uma vez com Coates a não ser feliz neste jogo. O defesa uruguaio fez falta sob Mehdi Taremi e da marca dos onze metros Ronan marcou o segundo golo dos vilacondenses. O brasileiro que tinha entrado há pouco tempo não vacilou e deu o empate ao Rio Ave

Os “leões” queriam de novo voltar para a frente do marcador e voltaram a carregar, seguindo com os olhos para a baliza. Aos 88 minutos, Marcos Acuña mandou a bola ao poste e os adeptos nas bancadas iam desesperando. E estavam muito descontentes por Marcel Keizer não ter feito substituições mais cedo.

Ao minuto 89′, o pior chegou para o Sporting. Coates faz de novo penalti (O TERCEIRO NA PARTIDA), recebeu o segundo amarelo e acabou expulso. Da marca dos onze metros foi a vez de Felipe Augusto, que tinha marcado o primeiro penalti, de converter o terceiro penalti na partida e, consequentemente, o terceiro golo na partida.

Sporting perdeu o jogo e perdeu também a oportunidade de subir à liderança partilhada com o Famalicão, que é agora o líder isolado da Primeira Liga. Os leões somam a primeira derrota no campeonato. Já o Rio Ave garante a segunda vitória consecutiva no campeonato e tem menos um jogo, que se irá realizar dia 8 frente ao Vitória SC. Em caso de vitória, os vilacondenses podem somar nove pontos e ultrapassar até o Sporting na tabela classificativa.

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES:

Sporting CP – Renan Ribeiro (GR), Thierry Correia, Coates, Mathieu, Acuña (Gonzalo Plata, 90+1′), Bruno Fernandes, Doumbia, Raphinha, Wendel, Vietto (Borja, 79′) e Luiz Phellype

Rio Ave – Kieszek (GR), Nelson Monte, Borevkovic, Santos, M. Reis, Felipe Augusto, Tarantini (Jambor, 75′), D. Lopes, Nuno Santos (Carlos Mané, 68′), Mehdi e Bruno Moreira (Ronan, 79′)

Anterior1 de 4Próximo

Comentários