A CRÓNICA: PRIMEIRO CONCRETIZAR, DEPOIS GERIR

O regresso do leão à Liga Europa começou da melhor maneira nesta típica quinta-feira de Liga Europa. Provavelmente muitos não se lembrariam da frase que viralisou no universo sportinguista: “Canto? Golo do Coates”. Logo aos aos três minutos de jogo, o central surgiu para recordar os mais esquecidos e desviar com o pé para o golo no centro da área depois de Acuña ter concretizado o canto. O golo surgiu cedo, mas a emoção no jogo tardava em aparecer. Foram uns primeiros minutos de muito futebol contido e cauteloso com alguns lances de saltar à vista protagonizados pela equipa portuguesa. Aos 15′, Jovane Cabral teve a oportunidade para dilatar a vantagem depois de uma grande combinação com Bolasie que deixou o jovem isolado, mas acabou por não conseguir bater o guarda-redes.

De seguida, foi a vez de Battaglia testar a atenção de Mert Gunok que voltou a passar no teste. A meio da primeira parte o Sporting já fazia por merecer o segundo, pois estava a ser superior ao adversário. E não é que ele acabou por surgir mesmo? Aos 44′, Sporar faz as honras e marca o segundo do jogo depois de cruzamento de Ristovski. O Sporting, depois de ter dominado toda a primeira parte, voltou a ampliar e voltou para os balneários com um resultado mais confortável de 2-0.

Saíram a marcar e entrar na mesma senda. Assim foi a entrada dos leões na segunda parte. Numa grande jogada onde Jovane dá de calcanhar para Bolasie, o extremo, por sua vez serve Vietto que, depois de um ressalto, marca o 3-0. O Sporting a partir daqui começou a gerir um pouco o resultado e o Basaksehir conseguiu ter um ligeiro ascendente. Aos 56′, valeu o grande corte de Neto depois de Bá ter ganho no duelo com Coates em zona perigosa. Dois minutos depois, foi a vez de Visca assustar o Sporting. Valeu Max que respondeu com uma grande defesa. O Basaksehir chegou mesmo a marcar aos 77′ através de uma grande penalidade convertida por Edin Visca. Os Leões acabaram por vencer em casa por 3-1 num jogo onde houve uma primeira parte de grande qualidade e um segunda de gestão do resultado.

Anúncio Publicitário


A FIGURA

Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Luciano Vietto – Voltou a mostrar-se preponderante para o jogo num Sporting sem Bruno Fernandes. Marcou um golo, praticamente não errou passes e esteve muito bem também no que à recuperação de bola diz respeito.

O FORA DE JOGO

Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Linha defensiva do Istanbul Başakşehir FK – Muita passividade da linha defensiva do Başakşehir nos lances dos golos. Os jogadores do Sporting CP conseguiram demasiados espaços na área e a muito se deveu à má prestação da linha mais recuada. Em qualquer um dos golos fica a sensação de que podia ter sido feito mais para se evitar o golo.

ANÁLISE TÁTICA – SPORTING CP

O Sporting CP entrou no duelo com uma tática de 4-2-3-1 com Luís Neto e Sebastian Coates a marcar presença no centro da linha mais recuada. Ainda na defesa, do lado esquerdo esteve Acuña como lateral esquerdo. Do outro lado, sem grandes surpresas, Ristovski ocupou a posição de lateral direito. No centro do terreno, estiveram Battaglia (ligeiramente recuado) e Wendel. Jovane Cabral e Bolasie cobriram as alas e, por fim, Vietto a dar apoio ao homem mais avançado do terreno sportinguista e estreante nos golos pela equipa – Sporar.

Um Sporting com as suas linhas muito subidas, inclusive a defensiva, dificultou a construção do jogo do adversário. Foi um Sporting muito mais maduro táticamente do que aquele que costumamos ver para o campeonato.

 

ONZES INICIAIS E PONTUAÇÕES

Maximiano (6)

Coates (7)

Acuña (7)

Vietto (8)

Ristovski (6)

Luís Neto (5)

Battaglia (5)

Wendel (5)

Jovane ()

Bolasie (7)

Sporar (6)

SUBS UTILIZADOS

Pedro Mendes (5)

Idrissa Doumbia (-)

G. Plata (-)

ANÁLISE TÁTICA – ISTANBUL BASAKSEHIR FK

O 4-4-2 apresentado pelo Istanbul Başakşehir FK não estava a resultar da melhor forma. Verdade seja dita, muito devido ao bom desempenho dos leões neste final de tarde. Ponck, Skrtel, Caiçara e Clichy formaram a linha defensiva de quatro homens. Já no centro do terreno, foi Viska (na ala direita), Gulbrandsen (na ala esquerda), Mahmut Tekdemir e Kahveci que prestaram serviço. Em zonas mais avançadas estiveram Crivelli e Ba.

O Istanbul Başakşehir teve muitas dificuldades para encontrar espaços na zona mais avançada do terreno. Na segunda parte, a equipa conseguiu explorar um pouco mais a frente de ataque, mas, ainda assim, sem conseguir concretizar.

ONZES INICIAIS E PONTUAÇÕES

Gunok (6)

Clichy (4)

Edin Visca (5)

Gulbrandsen (5)

Irfan Can Kahveci (5)

Demba Ba (5)

Mahmut Tekdemir (5)

Ponck (4)

Crivelli (5)

Skrtel (4)

Júnior Caiçara (4)

SUBS UTILIZADOS

Fredrik Gulbrandsen (5)

Elia (5)

Aleksic (-)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

Não foi possível fazer perguntas ao treinador do Istanbul Başakşehir FK, Okan Buruk

Sporting CP

Não foi possível fazer perguntas ao treinador do Sporting CP, Emanuel Ferro

Foto de Capa: Carlos Silva / Bola na Rede

Artigo revisto por Inês Vieira Brandão

Comentários