Leões e Conquistadores defrontaram-se esta noite em jogo a contar para a oitava jornada da Primeira Liga. Depois de quase terem conquistado Londres, os jogadores do Vitória SC procuravam continuar a senda de boas exibições em Alvalade e desta vez, de preferência, com um resultado menos ingrato. Parece que não foi desta, já que o pragmatismo leonino foi preponderante para o desfecho do encontro.

O Vitória foi mesmo o primeiro a criar perigo ainda nem um minuto tinha passado do apito inicial. Depois de um cruzamento de Davidson, a bola sofre um desvio perigoso de Bonatini, mas a bola acaba por passar ao lado da baliza de Renan. A reposta não tardou em aparecer por intermédio de, vocês sabem, Bruno Fernandes! O médio, de calcanhar, colocou na mira a baliza dos vimaranenses, mas Miguel Silva defendeu sem grande problema.

Apesar destas duas oportunidades bastante prematuras, o que é certo é que o jogo começou com um ritmo lento ainda com as duas equipas a ajustarem-se uma à outra dentro de campo. Aos nove minutos, André Almeida bate um livre lateral no flanco esquerdo. A bola vai rasteira e intensa, mas acaba mesmo por ser encaixada pelo guardião brasileiro do Sporting.

Aos 27′, Edwards descobre espaço no lado direito do ataque vimaranense. O número 23 cruza para Vitor Garcia. Podia ser uma grande lance de perigo, mas a bola acaba por sair muito por cima no remate.

Anúncio Publicitário

Após dois minutos do Vitória criar perigo, uma desatenção defensiva do Vitória foi “fatal”. Jesé Rodriguez aproveita e corre desenfreado para a baliza adversária e, muito bem o número 21 dos leões que, com toda a frieza, deita o guarda-redes com uma finta, e faz o primeiro da noite. Estava feito o 1-0 para a equipa da casa. Mas calma que não ficamos por aqui! Ainda os adeptos não tinham afinado as gargantas depois de gritar pelo primeiro golo, eis que surge o segundo: à semelhança do que tinha acontecido no lance do primeiro golo, Vietto assiste, desta vez para Acuña que faz abanar as redes de Miguel Silva aos 32 minutos. Venâncio ficou mal na pintura por ter perdido a bola em zona proibida.

Depois de uma fase em que o Vitória estava com um ligeiro ascendente na partida, vê-se assim a perder por 2-0 em muitos poucos minutos. Bem a equipa da casa que, com as poucas oportunidades que teve, conseguiu ter a frieza para decidir bem e mexer com o marcador depois de duas clamorosas desatenções por parte da equipa Vitoriana.

O Vitória ainda tentou reagir aos golos de rajada, mas, verdade seja dita, sem grande sucesso. Aos 37 minutos, Davidson remata forte, mas a bola sai ao posto. Ficava a ameaça, mas o marcador permanecia intacto desde os 32′. Já quase no final da primeira parte, Acuña livra Renan de se “meter em trabalhos”. O argentino faz um corte crucial depois de um excelente cruzamento de Evangelista. Em excelente posição estava Edwards que, só não marcou, porque Acuña chegou primeiro.

A primeira parte acabou então com um 2-0 para o Sporting, onde a equipa de Silas foi pragmática o suficiente para tornar o jogo muito mais favorável às suas contas. Já o Vitória SC pagou caro duas desatenções e via-se numa situação complicada para lutar pelos três pontos.

Jesé marcou o seu primeiro golo de leão ao peito
Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

A segunda parte começou bem dividida, com ambos os lados a darem mostras de ter captado bem a mensagem ouvida no descanso pelos treinadores. Os leões estavam a dar a iniciativa de jogo aos vimaranenses que bem tentavam chegar rapidamente à baliza de Renan, mas os comandados de Silas estavam tranquilos nas tarefas defensivas.

O primeiro lance de perigo do segundo tempo para o conjunto visitante surgiu nos pés dum atleta saído do banco: aos 64′, João Carlos Teixeira – rendeu André Almeida – entrou na área leonina e rematou ao lado da baliza de Renan. O remate foi um presságio para o que viria ocorrer a seguir, já que três minutos depois o Vitória conseguiu reduzir diferenças no marcador por Bonatini, assistido por Davidson.

O golo trouxe uma nova alma à equipa de Ivo Vieira que nos instantes seguintes encostou o Sporting “às cordas” e dispôs de algumas ocasiões para repôr a igualdade, contudo a precisão dos remates dos jogadores vitorianos não foi a melhor.

Quando se achava que a turma de Alvalade ia sofrer para manter a vantagem, eis que surge o 3-1: num livre descaído no lado direito aos 74′, Marcos Acuña bateu a bola para a área, Coates cabeceia para uma defesa incompleta de Miguel Silva e na recarga, o defesa uruguaio conseguiu fazer o gosto ao pé e colocar novamente o Sporting com uma vantagem confortável.

Ainda com esperanças em retirar algo de positivo da partida, Ivo Vieira lançou Rochinha e André Pereira, passando assim a jogar com dois homens na frente de ataque, mas as mudanças não trouxeram efeitos práticos à história da partida, uma vez que o Sporting conseguiu segurar as pretensões vitorianas até ao último apito de Artur Soares Dias.

O Sporting CP vence por 3-1, e está agora no quarto lugar com 14 pontos, tendo ultrapassado o Vitória SC. Os vitorianos continuam a senda de maus resultados, e sofreram a sua quarta derrota consecutiva.

 

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES

Sporting CP – Renan Ribeiro, Marcos Acuña, Sebastián Coates, Jérémy Mathieu, Valentin Rosier, Idrissa Doumbia, Eduardo (Rodrigo Fernandes, 87′), Bruno Fernandes, Luciano Vietto (Cristián Borja, 67′), Jesé Rodríguez (Luiz Phellype, 72′) e Yannick Bolasie

Vitória SC – Miguel Silva (GR), Victor García (André Pereira, 80′), Frederico Venâncio, Tapsoba, Florent Hanin, Mikel Agu, Lucas Evangelista (Rochinha, 80′), André Almeida (João Carlos Teixeira, 61′), Marcus Edwards, Davidson e Léo Bonatini