sporting cp cabeçalho 2

Em Domingo de Reis, o Sporting CP venceu ao final da tarde o CS Marítimo por 5-0, em jogo a contar para a décima sétima jornada da Primeira Liga. Pressionado pela vitória do SL Benfica, que venceu esta tarde o Moreirense por 2-0, o clube de Alvalade precisava obrigatoriamente de uma vitória frente aos insulares para não perder o ritmo. Depois do sofrido empate no dérbi da Luz, na passada quarta-feira, Jorge Jesus alterou algumas “peças” da equipa titular, trocando Mathieu – lesionado – por André Pinto, Piccini por Ristovski, Battaglia por Daniel Podence e Acuña por Bryan Ruiz. Do lado do Marítimo, Daniel Ramos fez o mesmo que o treinador leonino, alterando três jogadores do onze inicial face ao último jogo, frente ao GD Chaves: saíram Eber Bessa, Borges e Valente para entrarem, respetivamente, Fabrício, Diney e Oliveira.

Para combinar com o frio que se fazia sentir, o jogo arrancou com ritmo lento e muitas faltas, com as duas equipas hesitantes no que respeitava ao seu fluxo ofensivo. O último passe saía mal, constantemente, à equipa leonina, algo que ficou espelhado, por exemplo, no excesso de altruísmo de Bas Dost, que, com espaço para rematar cruzado já na grande área, tocou mal para o centro. A tendência, de resto, manteve-se, sendo os primeiros vinte minutos de jogo fracos em situações de golo – apenas uma tentativa para cada lado, com Fábio Coentrão para os “leões” de Lisboa aos oito minutos e Diney para os da Madeira aos dezassete.

Anúncio Publicitário

Até que à passagem do vigésimo minuto o jogo mexeu: Gelson Martins é lançado por Coates pela direita e numa corrida de esforço, mesmo com a bola a pisar a linha final, cruza para remate certeiro de Bas Dost, que isolado não falhou. Décimo quarto golo do holandês no campeonato e quinquagésima vez que balança as redes em competições oficiais em Portugal.

Ainda assim, o ritmo da partida voltou a abrandar depois do golo. Notava-se alguma falta de velocidade no setor atacante da equipa leonina, que apesar de estar por cima no jogo continuava presa a golpes individuais de Gelson Martins. Se essa falta de criatividade e indecisão poderiam surgir do menor poder explosivo de Bryan Ruiz – hoje à esquerda –, a verdade é que o Marítimo também tinha muito mérito na forma como defendia, aproveitando depois o contra-ataque para ganhar vários livres e cantos.

Desta forma, até ao final da primeira parte, o Sporting esteve perto do golo por apenas mais duas vezes: primeiro por Bas Dost, isolado, a chegar tarde a um cruzamento de Ristovski aos 36 minutos; cinco minutos depois, por Bruno Fernandes, num livre ensaiado em que o português rematou muito por cima. 1-0 ao intervalo, vantagem para os “leões”.

Apesar de uma primeira parte de “paciência”, o Sporting abriu a segunda com o golo de Bryan Ruiz Fonte: Sporting Clube de Portugal
Apesar de uma primeira parte de “paciência”, o Sporting abriu a segunda com o golo de Bryan Ruiz
Fonte: Bola na Rede

Já a segunda parte começou com a promessa de ser mais mexida do que a primeira: logo a abrir, William Carvalho assustava com um cabeceamento perigosíssimo, na sequência de um canto. Na resposta, em contra-ataque quase perfeito, Fabrício levou tudo à frente pela direita e já dentro de área rematou para defesa de Rui Patrício, a primeira da noite. Um susto que foi apenas isso mesmo, já que os adeptos leoninos puderam descansar logo de seguida: grande passe do inevitável Bruno Fernandes, que isolou Bryan Ruiz, bastando ao costa-riquenho atirar para golo. Primeiro golo de Bryan Ruiz desde a sua reintegração no plantel e vantagem de dois golos para o Sporting.

A partir daqui e até ao último quarto de hora do jogo, o Sporting soube conservar bem a posse de bola e a vantagem. Gamboa ainda teve uma oportunidade para a equipa do Marítimo, com um remate perigoso que saiu ao lado aos 59 minutos, mas ficava a sensação de que os insulares não queriam forçar a saída para o ataque, deixando a equipa da casa dominar o jogo, mesmo sem um ritmo altíssimo. Mas como mandar na partida ajuda sempre, o Sporting acabou por materializar o domínio nos últimos quinze minutos da partida: final avassalador dos “leões”!

Aos 74 minutos, Bas Dost bisava no jogo, em mais um grande trabalho de Bruno Fernandes, com mais uma assistência – tão boa, que o holandês tocou para a baliza quase “sem querer”. E se esse golo soube a pouco, bastou esperar apenas quatro minutos para sentir de novo a sensação. A dupla, essa, foi a mesma: Bruno Fernandes remata na esquina da área com grande potência e Charles defende para a frente, direitinho para Bas Dost, que cabeceou para o terceiro golo do jogo. Mais um hat-trick para o ponta-de-lança leonino – sexto ao serviço do Sporting –, que soma agora dezasseis golos nesta edição do campeonato.

Mesmo a fechar a partida, ainda houve tempo para mais um golo: grande confusão na área madeirense, e após mais uma defesa de Charles para a frente, Marcos Acuña concluiu o resultado com uma “manita” para o agora líder provisório do campeonato. O Sporting vence assim o Marítimo por 5-0 no primeiro jogo em casa de 2018, esperando agora pelo jogo do FC Porto, que defronta o Vitória SC, para saber se mantém a distância pontual quanto ao rival nortenho ou se começa o novo ano no lugar cimeiro.