sporting cp cabeçalho 1

 

O Sporting CP venceu esta noite o GD Chaves, em jogo a contar para a nona jornada da Liga NOS. Pressionada pelas vitórias de FC Porto e SL Benfica, que venceram ontem e hoje, respetivamente, a equipa leonina precisava obrigatoriamente de uma vitória frente aos transmontanos para não perder o ritmo.

Na ressaca da derrota frente à Juventus, Jorge Jesus não mexeu muito na equipa, trocando apenas Rodrigo Battaglia por Daniel Podence, alteração essa que fazia prever um “leão” mais ofensivo do que em Turim. Já Luís Castro alterou três jogadores do onze inicial face ao último jogo, com o Fátima (vitória por 0-3), com os regressos de Ricardo, Perdigão e Davidson. Quem não ficou de fora foi mesmo o sentido de solidariedade das duas equipas, que alinharam numa campanha de combate ao cancro da mama, entrando em campo com 22 mulheres que venceram a doença. Minutos depois, destacou-se de novo a união entre os dois clubes e todo o Estádio de Alvalade, com um bonito minuto de silêncio.

Mas olhemos para o jogo, até porque quem esteve distraído talvez não tenha acompanhado o bom início do Sporting: logo aos seis minutos, e na sequência de um pontapé de canto, Bas Dost voltou aos golos, com um cabeceamento ao primeiro poste, sem dar hipóteses ao guarda-redes Ricardo. E não ficou por aqui. Apesar de nos minutos seguintes ao primeiro golo a bola ter estado mais próxima da baliza de Rui Patrício, com muitas bolas perdidas pelos leões a meio-campo, foi mesmo a equipa da casa que aumentou a vantagem, novamente pelo holandês. Numa jogada perfeita do ataque leonino, Daniel Podence cruza milimetricamente, de primeira e no ar, para Bas Dost, que em voo fez o segundo para o Sporting. Dois a zero aos 15 minutos, num início eficaz dos “leões”.

Anúncio Publicitário

A partir daqui, o jogo tornou-se mais lento e previsível, sendo que o Chaves era até a equipa que mais vezes rondava a baliza adversária. Perigo real só apareceria mesmo aos 28 minutos, com um remate de meia-distância de Marcos Acuña, mas remate esse que foi ofuscado pelo momento seguinte: Gelson Martins cai na área após lance com Bressan e Alvalade rebentou. O árbitro Rui Costa deu pontapé de baliza, mas voltou atrás na decisão, pedindo a ajuda do vídeo-árbitro. A verdade é que nada mudou, apenas o ambiente do estádio, que explodiu quando os adeptos se aperceberam que os cinco minutos que o juiz demorou para ver as imagens de nada serviram.

Mas talvez até tenham servido, visto que a equipa leonina acordou a partir daqui: primeiro foi Bas Dost a falhar o chapéu, assistido magistralmente por Daniel Podence; e depois foi Marcos Acuña, que num lance fácil fez o terceiro golo dos leões – Gelson foi isolado pela direita e, sozinho com o argentino, ofereceu-lhe o terceiro da partida. Ao intervalo, o Sporting vencia assim o Chaves por 3-0, num primeiro tempo de grande eficácia leonina, mas com um futebol dividido.

O momento em que Marcos Acuña fez o terceiro golo dos leões Fonte: Bola Na Rede
O momento em que Marcos Acuña fez o terceiro golo dos leões
Fonte: Bola Na Rede

Já a segunda parte começou com um bom ritmo, sem alterações nas duas equipas e com o Sporting a entrar novamente melhor que o Chaves. A equipa de fora tentou reentrar na discussão do resultado, contudo as duas oportunidades que teve foram mal aproveitadas pelo trio atacante flaviense (Davidson, Perdigão e Platiny). Luís Castro, ao minuto 55, fez dupla substituição para manter o espírito ofensivo do Chaves, colocando Galvão e Elhouni nos lugares de Bressan e Perdigão, respetivamente. As substituições foram infrutíferas, uma vez que o Sporting voltaria a marcar: Marcos Acuña, imitando o seu colega de equipa Bas Dost (que fez a assistência), bisou também na partida.

O primeiro a sair do lado da casa foi o jovem Daniel Podence, que rubricou uma boa exibição durante o tempo que esteve em campo, por troca com Rodrigo Battaglia. Com uma vantagem confortável, o conjunto de Jorge Jesus ia fazendo circular o esférico a seu belo proveito, dando assim pouca margem à equipa de Trás-os-Montes para ainda tentar retirar algo de positivo do encontro. Ao minuto 74, o atacante holandês completou o seu hat-trick: novamente de cabeça, Bas Dost, ao segundo poste, respondeu bem ao cruzamento de Piccini. Fábio Coentrão, como tem sido uma constante nos últimos jogos, voltou a não completar os 90 minutos, e foi substituído por Bruno César, ao minuto 79. Os últimos minutos não tiveram grandes momentos de registo, à exceção do golo de honra do Desportivo de Chaves: no tempo de compensação, Davidson fez o tento da sua equipa, após um belo trabalho individual na ala direita. Vitória sem contestação da equipa leonina, num jogo sem grandes dificuldades, e com Bas Dost a voltar aos golos. Com este resultado, os Leões mantêm-se no segundo lugar da classificação, estando novamente a dois pontos do líder FC Porto.