Anterior1 de 6

Passaram dois anos desde a eleição de Frederico Varandas e inúmeros acontecimentos ficaram registados desde então. A atual direção tem conhecido o som da contestação desde o primeiro dia que assumiu funções no clube. A esperança de ver um trabalho que honrasse aquilo que o Sporting Clube de Portugal exige era imensa. Aliás, neste clube quando se fala em esperança, quando é que não é imensa? 

Nunca gostei de hipocrisias no que respeita à avaliação de um conselho diretivo. O bem estar do clube deve ser a prioridade máxima e, esteja quem estiver, o objetivo deve ser servir o leão rampante com qualidade, profissionalismo e amor. 

Nos últimos dois anos, são vários os pontos que servem de contestação ao trabalho realizado até ao momento. Estou completamente de acordo e entendo a grande maioria, outros nem tanto, faz parte.  

Um dos pontos onde tenho sido sempre bastante crítico é na capacidade negocial que reina no Sporting CP. Sinceramente, não me recordo de algo tão deprimente como nestes últimos dois anos… E olhem que já passou por aqui o “grande” Godinho.  

Anúncio Publicitário

A delapidação tem sido constante e a capacidade para fazer uma venda excepcional simplesmente não existe. Nenhum dos jogadores razoavelmente bem vendidos (tendo em conta o valor) foi contratado pela atual direção, nem um. 

Adicionalmente, os jogadores que entraram, muitos deles nem sequer jogam, alguns foram dispensados e outros colocados por empréstimo. Só nesta direção é que se acha que comprar 50% do passe de um jogador é um bom negócio. Só nesta direção é que se pensa que vender um jogador, mesmo por um valor inferior ao que custou, é positivo porque irá poupar-se em salários, não é Vietto? 

Preferia não escrever esta lista. Para que tenham uma noção, ficaram de fora os seguintes negócios: 

 

Vendas – Matheus Pereira e Acuña. 

Contratações – Eduardo, Tiago Ilori, Doumbia, Rosier e Rafael Camacho. 

Saídas a custo zero – Nani e Fredy Montero.

Anterior1 de 6

6 COMENTÁRIOS

  1. Este post está recheadíssimo de Brunismo. Bola na Rede, para ter colaboradores destes mais vale recrutar no Correio da Manhã. Não mencionar a falência técnica do clube e a extrema necessidade de se livrar dos ordenados principescos herdados da anterior direção é, no mínimo, intelectualmente desonesto e inteligentemente selectivo. Numa altura em que o Sporting está em primeiro lugar e em que todos prevêem a queda para outras classificações, um sportinguista devia ter sobre outras tantas coisas para escrever. Saudações (Verdadeiramente) Leoninas

  2. Que trampa de site, que trampa de artigo. E diz-se esta pessoa Sportinguista. O Pedro Gonçalves nem sabias quem era e agora achas escandaloso não contratar a totalidade. E já agora, aprende a escrever.

  3. Fui agora rever o conteúdo que este rapazinho de nome Tomás Parreira publica no Bola na Rede e fiz um apanhado interessante: nos ultimos 10 artigos que publicou, 3 são ataques directos ao presidente do Sporting, e um 4º é uma notícia sobre a renovação do Palhinha em que faz um delicioso apontamento à cara que o rapaz faz quando o presidente o abraça. Bola na Rede isto não é imparcialidade, isto é alguém claramente a abdicar da imparcialidade que um trabalho jornalístico requer para dar asos aos lobbies pessoais em que se integra. Espero que esta pessoa seja afastada o mais rápido possivel, para bem da credibilidade do site como meio de comunicação social imparcial.

    • Olá Kevin! Este artigo não tem nada a ver com a ataques, gostar mais de A ou B, ou mesmo de presidentes. O Sporting é muito grande e nenhum presidente está acima do clube. Este artigo espelha um conjunto de factos e que, na opinião do autor, prejudicam o clube. Vendas como a do Vietto são atos de gestão danosa. Este artigo é sobre os piores negócios de um presidente que já provou não ter jeito nenhum para esse tema. Constatação de factos!
      No que diz respeito ao Bola na Rede, este é o órgão de comunicação social totalmente imparcial, os seus colaboradores são livres de expressar a sua opinião, sem qualquer tipo de barreiras. Esse é o verdadeiro sentido de jornalismo, onde as avenças não fazem parte. Se os últimos artigos criticam o trabalho que está a ser feito pela Direção do Sporting, então é porque na sua opinião, algo de errado acontece no clube. Não podemos apagar os erros apenas quando o Sporting ganha. Não podemos ter memória curta, ainda só estamos no início do campeonato. Aquilo que que mais quero é que o Sporting Clube de Portugal vença e nunca deixarei de estar lá. Relativamente ao afastamento que fala no seu comentário, não tem com que se preocupar. Por motivos profissionais e por não conseguir conciliar tempo, esta semana será o meu último artigo (que aconselho a ler). E não se esqueça, no Bola na Rede a opinião é livre, não há interesses. Um abraço. Saudações Leoninas.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome