Anterior1 de 6Próximo

A política de transferências do Sporting Clube de Portugal nesta temporada tem sido alvo de constante debate por parte da massa adepta. Já a uma distância saudável do mercado de transferências e com a época já praticamente terminada para o clube de Alvalade, admitindo o próprio presidente que, com a chegada de Rúben Amorim, começou a preparação da de 2020/2021, vamos aproveitar esta pausa do campeonato, por motivos de segurança e prevenção em relação ao COVID-19, para analisar os emprestados pelo Sporting CP.

No somatório dos dois mercados, o Sporting esteve minimamente ativo. Entraram 8 jogadores para o plantel, cinco a título definitivo e três por empréstimo. Estamos a falar de Luís Neto, Luciano Vietto, Renan Ribeiro (já fazia parte do plantel na época passada, por empréstimo), Eduardo Henrique, Andraž Šporar, Yannick Bolasie, Fernando e Jesé Rodríguez. Todos estes jogadores foram, à partida, considerados mais valias para enriquecer o plantel. Nesta altura do campeonato já deu para perceber que isso não veio a acontecer, o que nos leva a pensar se alguns dos leões cedidos a título de empréstimo não teriam lugar no atual plantel. Escolhemos cinco que estão a dar cartas e que, muito possivelmente, seriam opção de Rúben Amorim.

Fazendo um balanço dos empréstimos e das compras, de facto, a nosso ver, não se justificam alguns empréstimos. O Sporting não soube vender, não soube comprar e pouco soube emprestar. Se se vende ou se empresta, é porque se tem ou vai comprar melhor… O que não se verificou.

Anterior1 de 6Próximo

Comentários