verdebrancorisca

É com enorme tristeza que tenho lido e ouvido as notícias que dão conta da saída de Leonardo Jardim do comando técnico do Sporting. Se tal vier mesmo a acontecer, é uma péssima notícia para todos os Sportinguistas devido a várias questões inerentes a este tema. Comecemos por algo não obrigatório, porém sempre importante, que é o sportinguismo de Jardim: o treinador madeirense não assinou pelo Sporting (há cerca de um ano) por dinheiro, mas sim pelo seu sportinguismo, pela coragem que teve em abraçar o comando técnico de um clube a viver uma situação muito perigosa em termos desportivos e económicos. A sua coragem, está claro, é outra das características que o tornam o homem ideal para estar à frente do nosso clube. Jardim podia ter, facilmente, “queimado” a sua carreira com uma época fraca à frente de um Sporting que havia ficado em 7º lugar na época anterior, porém, destemido, abraçou um projecto que Jesualdo rejeitou (e imagino o seu arrependimento), e brilhantemente reforçou o estatuto de um dos melhores treinadores portugueses. A coragem deste senhor, aliada à sua calma natural, coerência e educação, deram origem a uma empatia geral à volta da sua figura, quer por parte dos adeptos, como dos jogadores (algo claramente notório). Leonardo Jardim fez do plantel do Sporting uma autêntica família, e isso não acontecia há muito tempo no reino do Leão.

Sairá Jardim? Entrará Marco Silva para o seu lugar?  Fonte: Mais Futebol
Sairá Jardim? Entrará Marco Silva para o seu lugar?
Fonte: Mais Futebol

Porém, nem tudo é mau: a verificar-se a sua saída, o substituto natural será um senhor chamado Marco Silva. Este senhor tem, de certa forma, um perfil parecido com o de Leonardo Jardim. Com uma família construída e com uma estrutura mais forte do que nunca, Marco Silva pode aproveitar o trabalho feito até aqui por Jardim e assumir o comando de um Sporting numa situação ideal para as suas características: jovem, inteligente, bom tacticamente e na valorização de activos. Marco Silva tem de ser bom, não será com certeza mais um Paulo Fonseca. Quem pega no Estoril na 2ª Liga, numa situação aflitiva, sobe de divisão na mesma época, na sua primeira época fica em 5º lugar, no defeso perde todos os seus craques, reconstrói a equipa com jogadores completamente desconhecidos, e volta a ficar em 4º lugar, fazendo ainda mais pontos do que na época anterior, tem de ser um grande treinador, tem de ter nascido para liderar, para ser um vencedor. O Sporting é o clube ideal para Marco Silva se afirmar como o novo grande treinador português e para vencer os títulos que já vem merecendo.

Se preferia que Leonardo Jardim ficasse? Óbvio que sim. Se me preocupa a sua saída? Sim, de certa forma. Mas confio em Marco Silva e acredito que vá dar continuidade ao grande trabalho que se fez esta época. Trata-se de um casamento mais que óbvio, recheado de sentido. Com a garantia da contratação do ex-treinador “canarinho”, a saída de Jardim será, portanto, um mal menor.

Comentários