Caro leitor,

Longe vão os tempos em que o futebol era um jogo nobre e que não se regia com base em jogos de bastidores. Mais longe ainda vai o tempo em que o desporto-rei se baseava num jogo disputado no terreno de jogo, entre 22 homens que partilhavam algo que, hoje em dia, parece ter desaparecido: o gosto pelo futebol e não pelo dinheiro. Paralelamente, esta situação é espelhada naquilo que são os interesses exteriores que, actualmente, existem no futebol.

A reflexão, que no primeiro parágrafo pensei fazer, tem um único e claro objectivo: introduzir aquilo que foi a decisão do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, conhecida hoje. Segundo o órgão jurídico, o Porto, aquando do atraso de 3 minutos, não agiu com a intenção de prejudicar o Sporting, pelo que o clube do Invicta permanecerá na polémica Taça da Liga.

Após o adiamento da decisão para hoje, e dado o final já conhecido o adjectivo que, a meu ver, cai que nem uma estampa a este processo é só um: vergonhoso, por duas razões-capitais. Em primeiro pelo historial do Presidente do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, Herculano Lima, um confesso adepto do Futebol Clube do Porto. Ora, em uma decisão que se quer isenta, creio que esta última não foi, pela certa, cumprida. Surgem neste ponto os tais interesses de que falei no princípio da crónica.

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol decidiu que o Porto permanecerá na Taça da Liga, sendo multado, em apenas, 383 euros  Fonte: FPF
O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol decidiu que o Porto permanecerá na Taça da Liga, sendo multado em apenas 383 euros
Fonte: FPF

Em segundo lugar urge abordar a temática dos regulamentos. À semelhança do que disse Bruno de Carvalho, na passada segunda-feira, no programa Dia Seguinte, se os regulamentos existem são para ser devidamente cumpridos. De outra forma, não faria sentido existirem regras e vivia-se num ambiente de total anarquia, onde cada um faria aquilo que queria. No que toca à Taça da Liga os regulamentos são bastante explícitos: quando existem duas equipas com possibilidade de passar à fase subsequente da prova, os jogos de ambas têm de começar à mesma hora. Tal, definitivamente, não aconteceu.

Anúncio Publicitário

Porém, o CD da FPF decidiu de forma contrária àquilo que dita a lei. Esta é a segunda época consecutiva em que o FC Porto infringe as regras da Taça da Liga (recorde-se de que o ano passado a utilização de Sebá e Abdoulaye foi ilegal). Desta vez, a punição aplicada ao clube do norte é o pagamento de uma multa de 383 euros, uma quantia cómica. Ficou provado, mais uma vez, que existem interesses no mundo futebol. Ficou provado, mais uma vez, que em Portugal, infelizmente, não há justiça.