porta

21 de Maio de 1892, uma data que para a maioria pouco ou nada deve significar. Mesmo para os Sportinguistas, à primeira vista nada terá que ver com o seu clube, uma vez que faltariam pouco mais de 14 anos para a fundação do Sporting Clube de Portugal.

Foi neste dia que nasceu o símbolo maior do clube, a personalidade a quem devemos o Sporting de hoje e que mostrou o que é verdadeiramente um Sportinguista. É difícil separar a história de Francisco Stromp e a do Sporting Clube de Portugal; facilmente se confundem os primeiros passos do “leão” acabado de nascer com a vida dum enorme desportista, capitão e, acima de tudo, um grande Homem.

Anúncio Publicitário

Stromp aprendeu a amar o Sporting mesmo antes de ele nascer, fez parte do grupo de amigos que imaginou um clube diferente, ambicioso e eclético, contrastando com todos os piqueniques e actividades de recreio da classe alta que imperavam no Campo Grande Football Club. Criado o clube que viria a ser a maior potência desportiva portuguesa, onde Francisco era atleta, treinador e dirigente, o eterno capitão passou a viver e a respirar Sportinguismo, algo que confesso invejar.

Mais de uma centena de jogos realizados com a camisola que viria a ter o seu nome, uma década como capitão de equipa, inúmeros títulos no Futebol e até no Lançamento de Disco e estafeta dos 3x100m, e uma figura reconhecida dentro e fora do clube como um verdadeiro cavalheiro, respeitado por todos os rivais de então.

Passagem quase obrigatória em dias de jogo em Alvalade, Francisco Stromp continuará sempre por perto do Sporting Clube de Portugal
Passagem quase obrigatória em dias de jogo em Alvalade, Francisco Stromp continuará sempre por perto do Sporting Clube de Portugal

Ouvi na minha infância a história deste enorme homem vezes sem conta, e enquanto crescia lia periodicamente todos os livros que o meu pai comprava sobre o Sporting, assim como as colecções que fazia através dos diários desportivos. No Natal de 1997 tive a minha primeira camisola do Sporting, uma Stromp, pois claro, com o leão em marca de água. Usei-a sempre enquanto me serviu, e ainda hoje tem lugar de destaque no meu armário.

Francisco Stromp faleceu por vontade própria a 1 de Julho de 1930, dia em que o Sporting celebrava o seu vigésimo quarto aniversário. Perpetuando o seu nome, a sua vida e o seu legado a uma história centenária do maior clube português.

Hoje em dia, sou da opinião de que deveríamos jogar com essa camisola mais vezes, a verdadeira e original cor do Sporting Clube de Portugal. E gostava de que, no próximo fim de semana, no Estádio do Jamor, onze leões entrassem em campo com esse equipamento vestido, honrando alguém que representa tudo o que este clube é: esforço, dedicação, devoção e glória.

Foto de Capa: Sporting Clube de Portugal