sporting cp cabeçalho 2

Vitória de Guimarães e Sporting CP empataram esta noite a zero, no Estádio D. Afonso Henriques. Num jogo com muita luta e muitas bolas divididas, os “leões” tiveram mais oportunidades de golo, mas Miguel Silva foi uma barreira insuperável na baliza vitoriana.

Jorge Jesus optou por fazer regressar o esquema defensivo com Schelotto, Coates, Ruben Semedo e Zeegelaar. Digo já que não concordo com a titularidade do lateral direito argentino, devido à subida de forma de João Pereira nos últimos meses e devido ao enorme fluxo de erros não forçados, adaptando a expressão do ténis, que cometeu em campo. João Mário jogou com William Carvalho no centro do terreno, fazendo a posição de Adrien Silva. Apesar de ter estado muito bem defensivamente, faltou ao 17 leonino mais alguma acutilância ofensiva, no apoio a Slimani a Bryan Ruiz.

O jogo começou com muita luta, num relvado que também não estava nas melhores condições. O Vitória apresentou-se bem fechado defensivamente, com Licá e Ricardo Valente muito ativos na ajuda aos laterais, complementando as funções que foram atribuídas a Bouba Saré e Cafú, os médios que alinharam à frente dos centrais Josué e Pedro Henrique. Durante a primeira parte, os “leões” tiveram algumas oportunidades, nomeadamente por Coates e Slimani, mas Miguel Silva esteve muito bem a encurtar os espaços e a evitar o golo. Também o Vitória teve ocasiões por Licá e Bouba Saré, mas Rui Patrício esteve seguro.

Na segunda metade, houve mais algum espaço para Bryan Ruiz, que esteve muito bem em quase todos os toques que deu na bola. O costarriquenho não sabe jogar mal e apenas “esteve mal” numa finalização de baliza aberta, em que cabeceou por cima da trave. E digo esteve mal entre aspas porque Ruiz não estava posicionado da melhor forma para rematar da forma mais conveniente. JJ tentou mexer com o jogo, mas mais uma vez a primeira opção foi Teo Gutiérrez. O colombiano continua a significar zero em termos daquilo que adiciona de bom ao jogo leonino, o que me faz sentir vontade de ir sequestrar Montero à China.

Anúncio Publicitário

Depois, entrou Aquilani para o lugar de Bruno César, desviando João Mário para o flanco direito, e foi aí que o Sporting esteve melhor, principalmente depois da expulsão (justa) de Josué. Hernán Barcos entrou para o lugar de Slimani, que atuou com muito cuidado, tendo em conta uma possível interferência do Estado Lampiânico no encontro. Não nos podemos esquecer de que apenas um dos “grandes” ganhou em Guimarães, da forma suja como ganhou. O argelino não arriscou nada nos duelos aéreos, e por isso foi um Slimani a meio gás aquele que se viu no Minho.

Normalmente, no meio está a virtude. Esta é a exceção Fonte: Sporting CP
Normalmente, no meio está a virtude. Esta é a exceção
Fonte: Sporting CP

O “Pirata” argentino ainda teve um excelente trabalho na noite de hoje, mas Miguel Silva esteve mais uma vez atento ao remate do jogador “verde e branco”. Perto do fim, chegou a mais flagrante ocasião de golo do Sporting, mas William, solto na área dos “Conquistadores”, rematou ao lado, levando ao desespero os adeptos leoninos.

No próximo sábado, vem uma final frente ao Benfica, segundo classificado, que ficou a apenas um ponto de distância depois da vitória sobre o União da Madeira. Ruben Semedo vai ficar fora das escolhas por castigo, num encontro onde espero voltar a ver Paulo Oliveira, João Pereira e Adrien Silva de regresso ao onze. Também não me importaria de ver Teo Gutiérrez na bancada, sentado ao meu lado, para ver aquilo que um adepto sente quando vê um peso morto dentro do campo. O colombiano está a levar-me ao desespero, devido à leviandade com que joga. Espero que ambas as equipas joguem como habitualmente têm feito, porque assim acho que o Sporting vai ganhar.

A Figura:

Miguel Silva – O guardião vitoriano esteve intransponível, com quatro ou cinco “manchas” de altíssima bravura e qualidade. Espero que os responsáveis leoninos o mantenham debaixo de olho. Destaque também para a enorme exibição de William Carvalho, a fazer lembrar os melhores tempos de leão ao peito.

O Fora de Jogo:

Teo Gutiérrez – Acho que não é preciso dizer muito mais. É exasperante, causa raiva, angústia e é incrível ver a forma desinteressada como ele joga. Espero bem estar enganado, mas não me parece que acrescente alguma coisa caso entre no dérbi. Barcos parece-me melhor alternativa.

Foto de Capa: Sporting CP