logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

Sporting Vitória SC

Vitória SC 1-3 Sporting CP: Leão rugiu alto em terra de conquistadores

A CRÓNICA: SPORTING CP SOLTOU-SE DEPOIS DE UMA PRIMEIRA PARTE DIFÍCIL

O campeão nacional deslocou-se este sábado ao berço da nação, numa partida a contar para a vigésima sétima jornada do primeiro escalão do futebol português. O Vitória, a jogar o melhor futebol da temporada, recebe o segundo classificado Sporting, que vem de uma vitória no terreno do vizinho Moreirense.

A equipa vimaranense não se amedrontou perante o campeão e, logo aos dez minutos, tentou surpreender os leões. Canto à esquerda do ataque preto e branco, tirada por Ugarte, vai ter com Rochinha que obriga Adán a uma intervenção complicada. Os leões deram o troco, dez minutos depois. Matheus Reis, com um passe, deixa para trás toda a equipa do vitória e coloca Sarabia na cara de Varela. O espanhol acaba por dar um toque a mais e por perder uma grande oportunidade.

Na resposta, os conquistadores inauguram o marcador. Ataque pela direita e depois de um erro de Coates, Óscar Estupiñan roda sobre si mesmo e não perdoa na cara de Antonio Adán. O colombiano, melhor marcador do Vitória, chega aos 13 golos na temporada e coloca a sua equipa na frente do marcador.

Num jogo de parada e resposta, foi Slimani quem quase empatou a partida, apenas quatro minutos após o golo. Ataque da esquerda sportinguista, com Nuno Santos a cruzar exemplarmente para a área e o número nove leonino desperdiça de forma clamorosa aquele que seria o 1-1 no encontro. Destaque para Varela, que defende quase por instinto uma bola muito difícil.

À passagem do minuto 43, surge o lance que iria dar o empate leonino. Cruzamento da direita, Inácio desvia para a baliza e a bola vai ao braço de Alfa Semedo. Fábio veríssimo não teve dúvidas e apontou para a marca dos 11 metros. Chamado à cobrança, Pablo Sarabia não tremeu e empatou o jogo, mesmo em cima do intervalo.

 

Chegou a segunda parte e, com a saída de Slimani aos 55´, Paulinho assumiu a posição mais central do terreno. Logo no minuto 55´, a primeira chance do internacional português. Paulinho aparece na cara de Varela, após um grande passe nas costas da defesa adversária e pica por cima do guarda-redes e da baliza, quando os adeptos sportinguistas já preparavam os festejos. Aos 62´, novamente Paulinho. Cruzamento de Esgaio e o avançado do Sporting falha clamorosamente, quase debaixo da baliza, atirando contra o guarda-redes vitoriano.

À terceira foi de vez. Tabela de Sarabia com Pedro Gonçalves, que cruza rasteiro e Paulinho, em boa posição, finaliza de calcanhar, batendo a baliza à guarda de Bruno Varela. Décimo quarto golo de Paulinho na temporada, juntando-se a Sarabia e Pedro Gonçalves. 1-2 para a equipa leonina.

O Vitória carregou, mas o jogo terminou mesmo com mais um golo do Sporting. Edwards regressou a Guimarães com o pé direito (literalmente). Puxou para o seu pior pé e, de fora da área, assinou o golo da noite no D. Afonso Henriques. Resultado final: vitória do campeão nacional por três bolas a uma.

 

A FIGURA

Sporting Vitória SC
Fonte: Paulo Ladeira / Bola na Rede

Paulinho – Após a passagem para o centro, o seu habitat natural, foi muito bom. Teve três oportunidades para fazer e, à terceira, conseguiu mesmo o golo que viria a mudar o jogo. Demorou a mostrar os dentes, mas quando o fez, a resistência vitoriana caiu mesmo.

 

O FORA DE JOGO

Sporting Vitória SC
Fonte: Paulo Ladeira / Bola na Rede

Slimani – Com Alfa Semedo em cima, pouco se viu no jogo. Teve duas grandes oportunidades mas ambas desperdiçadas. A sua saida teve impacto no jogo e coincidiu com a melhor fase do Sporting. Teve um dia mau.

 

 

ANÁLISE TÁTICA – VITÓRIA SC

O Vitória repetiu o 11 que venceu o Marítimo, na Madeira, por 0-1. Alfa Semedo jogou como terceiro central em processo defensivo, subindo para médio defensivo quando a equipa tinha bola. Lameiras e Rochinha jogaram nos corredores, enquanto Estupinan foi a referência ofensiva.

A equipa vimaranense tentou condicionar a saída do Sporting com uma pressão média alta, com os laterais a acompanharem os alas do Sporting. Alfa Semedo ficou quase fixo em Slimani, não deixando o argelino fazer mossa, tanto em apoio como em profundidade.

Ofensivamente, a equipa do Vitória saiu apoiada, sempre com muitos jogadores perto da bola e a querer jogar de pé para pé. O flanco esquerdo do Vitória foi o mais interventivo, com Rafa e Rochinha a criarem muito perigo.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Bruno Varela (8)

Jorge Fernandes (6)

Mumin (6)

Maga (6)

Rafa (6)

Alfa Semedo (6)

André Almeida (7)

Tiago Silva (6)

Lameiras (5)

Rochinha (6)

Estupiñan (7)

SUBS UTILIZADOS

Janvier (6)

Nelson da Luz (6)

Bruno Duarte (5)

Gui (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – SPORTING CP

O Sporting entrou no mesmo sistema do último jogo em Moreira de Cónegos, com Paulinho e Slimani na frente de ataque. Entraram Sarabia, Esgaio, Nuno Santos e Inácio no onze, para os lugares de Edwards, Porro, Feddal e Neto.

O Sporting, com Paulinho mais à esquerda, condicionou a equipa adversária no habitual 3-4-3, com os alas Esgaio e Nuno Santos a condicionarem os laterais/alas adversários. Por vezes, vimos um 4-4-2, com Nuno Santos a subir para uma linha mais avançada e Paulinho a juntar-se a Slimani na frente de ataque.

Ofensivamente, vimos uma equipa mais previsível na primeira parte, onde Matheus Reis ia sendo o jogador mais na construção, tendo a capacidade de passe para ligar os setores da equipa. Na segunda parte, foi Pote o elo de ligação mais ofensivo, o que resultou em duas assistências na conta pessoal.

7,5,7,6,7,6,6,6,7,5,8

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Adán (7)

Coates (5)

Matheus Reis (7)

Inácio (6)

Matheus (7)

Ugarte (6)

Nuno Santos (6)

Esgaio (6)

Sarabia (7)

Slimani (5)

Paulinho (8)

SUBS UTILIZADOS

Pedro Gonçalves (8)

Marcus Edwards (7)

Luís Neto (-)

João Palhinha (-)

Daniel Bragança (-)

 

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

Sporting CP 

Não foram colocadas questões ao treinador do Sporting CP, Rúben Amorim

Vitória SC

BnR: Na primeira parte vimos o Alfa a encaixar no meio dos centrais, segurando Slimani que é um avançado mais fixo. A partir do momento em que o Sporting passou o Paulinho para dentro, melhorou significativamente e o Vitória perdeu-se um pouco  nos encaixes, como se viu no segundo golo, onde o Pote aparece entrelinhas e o Alfa que estava na linha dos centrais já chega tarde ao lance. Pergunto-lhe se acha que a quebra do Vitória passou pela incapacidade de reação à mudança do Sporting

Pepa: O segundo golo foi um bom golo, é mérito do adversário claro. Fizemos uma primeira parte competente e entramos muito bem na segunda. Depois da entrada do Pote tivemos 15 minutos difíceis, com o Sporting por cima e melhor no jogo. Depois fomos para cima, tivemos ambição e o jogo acaba com um grande golo do Edwards. Mas ressalvo a qualidade da nossa equipa, e a qualidade e ambição que tivemos.

 

 

 

 

O Francisco é natural de Santo Tirso. Encontra-se a tirar uma licenciatura em Ciências da Comunicação, na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Sempre teve uma paixão enorme pelo deporto, sobretudo pelo futebol. Tem também um gosto especial pelo basquetebol, mais concretamente NBA. Jogou futebol durante 13 anos, mas agora é na vertente do treino que vai continuando o bichinho pela modalidade.

O Francisco é natural de Santo Tirso. Encontra-se a tirar uma licenciatura em Ciências da Comunicação, na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Sempre teve uma paixão enorme pelo deporto, sobretudo pelo futebol. Tem também um gosto especial pelo basquetebol, mais concretamente NBA. Jogou futebol durante 13 anos, mas agora é na vertente do treino que vai continuando o bichinho pela modalidade.

FC PORTO vs CD TONDELA