Guimarães foi palco de um jogo eletrizante entre o Vitória local e o Sporting. Os “leões” estiveram a vencer por três bolas a zero, mas permitiram o empate dos minhotos no D.Afonso Henriques.

Os “verde e brancos” foram mais fortes durante setenta e três minutos. No início, a equipa da casa até pressionou bem, tapou alguns espaços ao adversário e manteve o Sporting longe da sua baliza. Pedro Martins não teve Rafael Miranda e essa foi uma perda importante. Os vimaranenses iniciaram bem o jogo, mas depois dos quinze minutos foi o Sporting a mandar no jogo, coroando o ascendente na partida com o primeiro golo de Markovic com a camisola leonina, numa recarga após uma jogada magistral de Gelson Martins. A partir daí, o domínio leonino foi-se intensificando e o segundo golo chegou ainda antes do intervalo, com Coates a aproveitar uma saída em falso de Douglas para cabecear facilmente. Com 2-0 ao intervalo e a forma como o jogo estava a decorrer, era impensável aquilo que viria a acontecer na segunda metade. Mesmo com a lesão de Adrien Silva e a entrada de Elias para o seu lugar, os “leões” estavam a ter a vida mais facilitada do que aquilo que seria expetável.

Os comandados de Jorge Jesus voltaram a entrar bem na segunda parte e tiveram várias oportunidades para ampliar a vantagem. O terceiro golo só surgiu aos setenta minutos, com Elias a rematar forte e Douglas a ficar novamente mal na fotografia. Com 3-0 no resultado, toda a gente pensaria que o jogo estava resolvido. Contudo, a defesa do Sporting tem estado disposta a dar prendas nesta temporada e, com Schelotto e Marvin Zeegelaar em campo, tudo é possível. Mas já lá vamos. O primeiro golo do Vitória nasce de um penálti escusadamente cometido por William Carvalho. Marega reduziu para 3-1 e, pouco depois bisou na partida, fugindo a Coates para fuzilar Rui Patrício.

Num ápice, as coisas apertaram para o Sporting e o mais provável aconteceu. Sem Adrien Silva em campo, não houve ninguém que agarrasse a equipa pelos colarinhos e a levantasse, Elias perdeu demasiadas bolas no meio campo, ninguém soube segurar a bola e surgiu o 3-3. Zeegelaar cometeu uma falta escusada (mais uma) sobre Marega, Raphinha bateu o livre e Schelotto foi empurrado por Soares que empatou o encontro. Naquela situação, Schelotto tem de se impor e não esperar pela marcação da falta. Quem diria que João Pereira iria ser tão necessário nesta temporada?

Jorge Jesus tem razão para gritar bastante com os seus jogadores e consigo próprio, pois quando uma equipa está a vencer 3-0 e se deixa empatar em 17 minutos, toda a gente tem culpa. A desvantagem para o primeiro classificado pode cifrar-se em três pontos no final desta ronda, e JJ terá de pensar bem em como irá proceder durante a paragem para as seleções. No segundo jogo após competições europeias, o Sporting voltou a sofrer três golos num jogo e a perder pontos no norte do país. A seguir ao jogo com o Borussia Dortmund, a deslocação será ao Bessa e a dificuldade não será menor.

Anúncio Publicitário