Todos sabemos que no futebol existem jogadores mais e menos queridos pelos adeptos. Quando ainda existia a possibilidade de ir ver um jogo ao estádio, deparava-me com uma espécie de fúria dos sportinguistas, cada vez que Wendel não soltava a bola assim que a recebia. Não sei se será pelas polémicas nas quais esteve envolvido, mas a verdade é que Wendel é subvalorizado pelos adeptos leoninos. Já eu vejo-o como um dos médios com mais qualidade na nossa Liga.

Wendel chegou a Alvalade em 2017. No entanto, foi só na temporada seguinte que se afirmou como titular do Sporting CP. O brasileiro é um médio box-to-box. Contém tanto a qualidade técnica, criatividade e rapidez para ajudar a equipa nas manobras ofensivas, como a propensão defensiva que não deixa a equipa desequilibrada (pelo menos, não por culpa dele). Na minha opinião, é um médio completo e fundamental para a equipa que representa.

No 3-4-3 de Rúben Amorim, vemos a formação leonina a utilizar as alas como o principal foco de transição defesa-ataque. Os médios são pouco utilizados na fase de construção, tendo um papel mais preponderante no momento sem bola. As características de Wendel deveriam chamar a atenção do jovem treinador português, visto que este poderia acrescentar algo mais, através das características que mencionei anteriormente. Com um médio mais posicional e defensivo a seu lado, Wendel teria uma maior liberdade para potenciar a sua qualidade ofensiva.

Anúncio Publicitário

Com apenas 22 anos, Wendel é titularíssimo na equipa de Alvalade. É um dos maiores ativos do Sporting CP, e, bem aproveitado e com a cabeça dentro das quatro das linhas, poderá valer um grande encaixe financeiro ao clube. O facto de ser internacional canarinho de sub-23 é uma grande montra para este jogador que tem tudo para ser um craque.

Artigo revisto por Mariana Plácido

Comentários