Começou a 80ª edição da Taça de Portugal! Para a história ficou uma final emotiva entre Sporting CP e FC Porto, que os leões levaram a melhor conquistando, mais do que um troféu, uma autêntica redenção.

110 clubes portugueses (68 do Campeonato de Portugal e 42 oriundos dos campeonatos distritais) mediram forças entre si num fim-de-semana repleto de jogos a contar para a 1.ª Eliminatória da Prova Rainha, o início de um longo caminho em busca de um sonho comum chamado Jamor. A título de curiosidade diga-se que o mítico Estádio do Jamor só passou a receber, tradicional, a final da Taça de Portugal a partir de 1946, salvo em algumas ocasiões excepcionais como a final de 1975 que se realizou no antigo Estádio José Alvalade. É que as primeiras finais da Taça de Portugal foram disputadas em Lisboa no Estádio do Lumiar e no Campo das Salésias.

De Norte a Sul, do Continente aos Arquipélagos, as emoções da Prova Rainha percorreram todo o país. Entre os jogos que fizeram parte do arranque da competição, houve dérbis entre os quais merecem destaque o dérbi vimaranense Pevidém SC (1) – Berço SC (3), que ficou também marcado pela estreia destes dois emblemas na Taça de Portugal; e o dérbi beirão Sertanense – Oleiros no qual a equipa caseira levou a melhor no desempate em grandes penalidades, tendo sido transmitido no Canal 11.

E apesar de ser uma fase prematura da competição pode dizer-se que já houve jogadores em destaque. Na visita à casa do Eléctrico, o avançado holandês do Benfica de Castelo Branco ex-Leixões, Stevy Okitokandjo, foi autor de quatro golos tendo contribuído para a vitória expressiva por 7-0 da equipa albicastrense. Já na recepção do Mortágua ao Anadia, João Rodrigues, jogador da formação caseira, foi a grande estrela do encontro ao ter marcado um “golo de outro mundo” contribuindo assim para a vitória por 4-2 do clube do distrito de Viseu.

Anúncio Publicitário
O Esperança de Lagos recebeu e venceu o Lusitano de Évora por uma bola a zero num duelo muito bem disputado entre Algarvios e Alentejanos
Fonte: Facebook Oficial do Clube de Futebol Esperança de Lagos

Entretanto, o sorteio da 2ª eliminatória terá lugar na próxima quinta-feira, 12 de Setembro, na sede da Federação Portuguesa de Futebol. Os clubes da Ledman Liga Pro integram a prova nesta eliminatória, enquanto que os clubes da Primeira Liga entram na 3.ª eliminatória.

Apesar de o sonho guiar o seu percurso na competição, é importante notar que os clubes apurados para a próxima eliminatória têm também direito a um prémio monetário, o que é bastante apetecível tendo em consideração a fragilidade económica em que muitos destes clubes vivem actualmente.

Por outro lado, há sempre a expectativa de encontrar os “grandes” durante este percurso o que pode significar um aumento de receitas a nível de bilheteira e, sobretudo, de direitos televisivos cujo valor pode, perfeitamente, fazer o orçamento de um clube regional de pequena dimensão para mais do que uma época.

Nesta fase inicial da prova é impossível prever quem irá erguer a Taça na tribuna do Jamor, há apenas um prognóstico que é certo: emoções fortes não irão com certeza faltar nesta 80.ª edição. Na verdade, a Taça de Portugal é um desafio pródigo em surpresas e eliminações inacreditáveis que não deixam de causar fascínio e até mesmo estupefação entre os adeptos. Refiro-me, por exemplo, aos famosos “tomba-gigantes”: as equipas ‘pequenas’ ou teoricamente mais fracas que conseguem derrotar uma equipa grande e assim entram de imediato para a história da Taça (qual David vs Golias!). Mas também me refiro a campanhas históricas, como a do Caldas SC há dois anos que só terminou na meia-final.

Foto de Capa: FPF