Cabeçalho Futebol Nacional

Encerrou hoje um mercado de transferências que se mostrou bastante ativo para os emblemas nacionais. Desde o início até aos momentos finais do último dia, o mercado foi agitado para os dois dos três grandes do nosso futebol, tendo o Futebol Clube do Porto sido o clube que menos operou, principalmente no que toca a entradas. Os dragões construíram um plantel para atacar a nova época assumindo uma conjuntura de estabilidade. Aos jogadores mais importantes da época transata, somou-se o regresso de alguns emprestados que têm tido papel muito importante neste início de temporada. Ricardo Pereira rapidamente ganhou o lugar de defesa direito a Maxi Pereira, Aboubakar substituiu com sucesso André Silva e Marega tem desempenhado um papel importante, sendo a alternativa principal à dupla de avançados titular. No que concerne a contratações há apenas a registar o ingresso do guarda-redes Vaná ex-Feirense. Quanto a saídas, destaque para os muitos milhões que entraram nos cofres devido às transacções dos passes de André Silva (AC Milan) por 38 milhões de euro, e Ruben Neves por 18 milhões de euros (Wolverhampton).

Nos clubes da capital, o mercado foi mais agitado, e trouxe ao Sporting uma defesa quase totalmente nova, com a entrada de Piccini, Coentrão e Mathieu, sendo estes dois últimos nomes bastante sonantes, vindos de Real Madrid e Barcelona. O meio campo foi também reforçado com Battaglia e Bruno Fernandes, sendo este a grande figura do início da época Sportinguista. Os 8,5 milhões de Euros pagos pelo clube de Alvalade tornaram-se baratos face ao alto rendimento demonstrado pelo médio ex-Sampdoria. No ataque, destaque também para Acuña, que já foi eleito o melhor jogador do campeonato argentino e chegou para agarrar um lugar na extrema esquerda. Na frente, chegou também Dumbia para ser a sombra de Dost. Quanto às saídas, durante esta janela de mercado, pairou sempre a possibilidade dos campeões europeus William e Adrien abandonarem o clube a troco de muitos milhões de euros. Adrien saiu para o Leicester, William ficou… para já.

Ao lado na segunda circular, o Benfica esteve ativo principalmente no que diz respeito a saídas de jogadores, com muitos milhões de euros vindos de Manchester a reforçarem os cofres encarnados. O central Lindelof rendeu 35 milhões ao transferir-se para o United, enquanto que Ederson valeu 40 milhões ao assinar pelo Manchester City. A saída de Nelson Semedo para o Barcelona também fez ganhar 30 milhões de euros, enquanto que Mitroglou rendeu ainda mais 15 milhões de euros ao assinar pelo Marselha. Quanto a contratações, a baliza foi reforçada com o regresso de Bruno Varela à casa que o formou, e com Mile Svilar, um belga de 18 anos a quem auguram um grande futuro. Na defesa chegou Douglas do Barcelona para a vaga do português que tinha seguido o caminho inverso. O meio campo ganhou novas soluções com por exemplo Filipe Augusto e Krovinovic, e o ataque conta com o reforço em maior destaque até ao momento Haris Seferovic, além de Gabriel Barbosa, cujo empréstimo pelo Inter de Milão foi oficializado já nas últimas horas do mercado.

Gabriel Barbosa foi cedido pelo Inter ao SL Benfica Fonte: FC Inter
Gabriel Barbosa foi cedido pelo Inter ao SL Benfica
Fonte: FC Inter

Nos principais clubes do Minho as alterações nos planteis também foram em larga escala. O Sporting de Braga renovou a sua defesa com a entrada de Jeferson e Esgaio (ambos ex-Sporting), e Raúl Silva (ex-Marítimo). No meio campo destaque para as entradas de Fransérgio, Danilo e André Horta que chega por empréstimo para se juntar ao seu irmão Ricardo que entretanto assinou a titulo definitivo pelos braguistas. Nas ultimas horas do mercado, acabaram também por assegurar mais um reforço importante para o miolo do terreno, com o empréstimo do portista João Carlos Teixeira. Na frente, destaque para Paulinho, que saltou da segunda liga para agarrar um lugar no onze neste início de temporada, Dyego Sousa (ex-Marítimo), e o regresso de Fábio Martins. Bruno Xadas, jovem recém-promovido à equipa principal, tem sido o principal destaque. Esta janela de mercado deu ainda para os arsenalistas garantirem a entrada de capital, com a Lázio a pagar 26 milhões de euros pelos jovens Pedro Neto e Jordão. O Fulham pagou também cerca de 9 milhões por Rui Fonte, sendo que o Braga detinha metade do passe do jogador.

Anúncio Publicitário

Em Guimarães o plantel também sofreu grandes alterações, com principal destaque para as saídas de Josué Sá para o Anderlecht, Bruno Gaspar para a Fiorentina, Zungu para o Amiens, e Marega e Hernani que regressaram ao Porto após empréstimo. Relativamente a entradas, no ataque a equipa vitoriana conseguiu dois reforços que poderão ter papéis bastante importantes ao longo da temporada, Óscar Estupiñán e Heldon. No meio campo, destaque para Wakaso, ganês já com grande experiência de primeira liga, e Francisco Ramos, jovem promessa ex-FCPorto. Na defesa, chegou também o internacional venezuelano Victor Garcia, também ex-portista.

Foi portanto um mercado de transferências com bastante emoção, que se estendeu até aos últimos minutos do dia. Mais uma vez, treinadores e dirigentes criticaram o facto de haver mercado aberto já com a época em andamento, mas no entanto esta situação dever-se-á manter desta forma, tornando ainda mais emocionante a abertura das épcoas.

David Vinagreiro