Quem é?

Vítor Manuel da Costa Araújo, mais conhecido por Vítor Paneira, faz parte do imaginário de todos os portugueses, mais em especial dos benfiquistas. Foi um dos últimos grandes médios do futebol português, um ala romântico, um número 7 à antiga que transpirava classe por todos os poros do corpo. Vítor nasceu para o futebol em Vila Nova de Famalicão, passando depois por Vizela, onde acabaria por dar o salto para o clube que o catapultou para a grande montra do futebol internacional: o Benfica. Depois do Benfica, ainda contou com passagens pelo Vitória de Guimarães, onde deu espetáculo ao longo de quatro épocas fantásticas, e pela Académica de Coimbra, onde cessou a carreira de jogador. A passagem pela seleção nacional foi igualmente marcante contando com quatro golos em 44 internacionalizações. A finta curta de Paneira, os cruzamentos milimétricos, a visão de jogo que só ele tinha, a redondinha que colada ao pé de Paneira parecia feliz, bem tratada, à espera de uma nova ordem do cérebro do seu mestre. Tudo isto perdurará na memória do adepto de futebol. Deixou o futebol como uma das maiores figuras das últimas décadas do futebol português e do Benfica e ainda hoje deixa saudades, o que diz muito da relevância deste ala, mágico ala em corpo de dez.

Fonte: SL Benfica

Depois de pendurar as botas, Paneira aventurou-se como treinador de futebol. Contou com trabalhos bastante positivos, passando por clubes como: Tondela, Varzim, Boavista, Famalicão, entre outros. A primazia pelo futebol positivo, de ataque, de velocidade foi sempre uma constante de Paneira tanto como jogador, como depois enquanto treinador.