Luís Figo fez a sua formação no Sporting Clube de Portugal, para se tornar um dos melhores jogadores da sua geração e um dos melhores do futebol português. O extremo luso foi galardoado com o Ballon D’Or em 2000 e o FIFA The Best em 2001.

Figo deu os seus primeiros passos no futebol ao serviço do Pastilhas, tendo sido um dos talentos descobertos pelo senhor Aurélio Pereira. Foi através do mestre da observação, que rumou ao Sporting em 1984. Seguiram-se 12 anos de leão ao peito, realizando a sua estreia na equipa principal num jogo frente ao Marítimo na época 91/92, com apenas 17 anos.

Ao serviço do Sporting, Luís Figo somou 158 jogos e apontou 23 golos. A despedida de Figo do clube de Alvalade foi com a conquista da Taça de Portugal em 1995, vencendo o Marítimo por 2-0, com dois golos de Ivaylo Iordanov.

O extremo português reforçou o FC Barcelona na época 95/96, numa transferência a rondar os 2.5M€.  Ao serviço dos “blaugrana” realizou 249 jogos e marcou 45 golos. Com a camisola catalã venceu uma Taça das Taças, uma Supertaça Europeia, duas Taças do Rei e foi duas vezes campeão espanhol. Na Catalunha, Figo brilhou a par de nomes como Rivaldo, Ronaldo, entre tantos outros.

Anúncio Publicitário

No verão de 2000, Luís Figo protagonizou uma das transferências mais polémicas do futebol mundial. Pela mão de Florentino Pérez, Luís Figo trocou o Barcelona pelo rival, Real Madrid, a troco de 60 M€. No Real Madrid, o português viria a vencer dois campeonatos, uma Liga dos Campeões, uma Supertaça de Espanha, uma Supertaça Europeia e uma Taça Intercontinental. Figo foi um dos galácticos do Real Madrid, como Zidane, Ronaldo, David Beckham, Roberto Carlos, entre outros, que marcaram uma era no clube. Durante cinco temporadas, Figo contabilizou 245 partidas disputadas e 45 golos marcados.

Figo viria a perder espaço no clube da capital espanhola e em 2005 rumou ao futebol italiano, rubricando contrato com o Inter de Milão, a custo zero. Em Itália, voltaria a comprovar a sua qualidade e experiência, vestindo a camisola número sete por 140 ocasiões, marcando 11 golos. No Giuseppe Meazza, voltou a viver uma aventura muito feliz, onde foi tetracampeão, venceu uma Taça de Itália e três Supertaças. Retirou-se dos relvados dia 31 de Maio de 2009, numa vitória do Inter de Milão diante da Atalanta por 4-3, sendo orientado por José Mourinho.

Luís Figo marcou a história do futebol português, foi um dos mais internacionais de sempre, com 127 jogos e 32 golos. Capitão da seleção portuguesa, uma figura incontornável do desporto nacional, venceu o Campeonato do Mundo de Juniores em 1991 e foi finalista do Euro 2004. O extremo formado em Alvalade participou em cinco fases finais de grandes competições e será eternamente recordado como um dos melhores de sempre do futebol português.

Figo ficará na memória dos adeptos do futebol mundial pela sua qualidade técnica, a sua meia distância, os dribles, as assistências, os golos, a atitude e entrega em campo. Uma carreira repleta de títulos, com as camisolas do Sporting CP, FC Barcelona, Real Madrid e Inter de Milão, conquistando 26 troféus.

Artigo revisto por Inês Vieira Brandão

Comentários