Em todos os clubes há nomes incontornáveis, que fizeram do emblema coração, e este é o caso de Ânderson Luíz da Silva ou, como é vulgarmente conhecido no mundo do futebol, Luisão.

Nascido em Amparo, Brasil, em 1981, a “girafa”, como era carinhosamente tratado pelos adeptos afetos ao Sport Lisboa e Benfica, chegou ao clube a troco de um milhão de euros, na temporada de 2003/04, após boas exibições ao serviço do Cruzeiro.

A sua adaptação ao futebol europeu não foi imediata, tendo realizado, na sua época de estreia, apenas 22 jogos de “águia ao peito”, embora tenha marcado uns impressionantes quatro golos. Mas, o que viria a acontecer nos anos seguintes  é história!

Foram 15 (!) temporadas a vestir o Manto Sagrado. A suar, a lutar, a ganhar e a perder, foi toda uma carreira de entrega ao glorioso, o que torna Luisão num dos jogadores mais importantes da história recente do SL Benfica.

No braço esquerdo envergava a braçadeira de capitão, por tudo aquilo que representava dentro do balneário e dentro de campo: um exemplo a seguir, um verdadeiro líder. Foram 538 jogos (sempre na condição de titular) de garra e ambição, coisa que, no futebol moderno, raramente se vê. É, até ao momento, o jogador estrangeiro com mais jogos ao serviço dos encarnados.

Luisão, com 1,96 metros, era um central goleador, tendo marcado 47 golos ao serviço do SL Benfica
Fonte: SL Benfica

Mas, não só pelo grande número de jogos, Luisão tornou-se num dos jogadores mais acarinhados pelos adeptos. Ganhar era a palavra de ordem e não houve ninguém, em 116 anos de história, que tenha conquistado tantos títulos no Benfica: quatro Supertaças de Portugal, três Taças de Portugal, sete Taças da Liga e seis campeonatos nacionais. São 20 títulos em 15 anos, um registo verdadeiramente impressionante.

Fora do Benfica, Luisão já também era um “devorador” de troféus, tendo ganho, antes de chegar à Luz, um campeonato brasileiro e duas Copas do Brasil. A nível internacional, a “girafa” realizou 46 internacionalizações, tendo apontado três golos e conquistado duas Taças das Confederações e uma Copa América.

O número 4 do glorioso será sempre lembrado pelo seu espírito de guerreiro e por nunca desistir, nunca dar uma bola como perdida. Luisão, o rochedo impenetrável, foi, nada mais, nada menos, o jogador da história do Benfica que mais vezes envergou a braçadeira de capitão, perfazendo um total de 414 jogos.

Em 2003, quando Luisão chegou a Lisboa, disse que queria fazer história no Benfica. Pois bem, capitão, cumpriste o prometido. Obrigado.

Comentários