O Vitória SC iria em busca de território desconhecido no Emirates Stadium. O sonho europeu estava de tal modo incutido nos corações que vibram com a equipa do rei (tanto adeptos como jogadores), que foi real, por momentos.

Sem fugir aos seus princípios, o Vitória SC permaneceu sempre (e ainda permanece) fiel à sua busca de impor o seu tipo de futebol, acabando por ser um exemplo extraordinário a sua caminhada europeia.

Se havia dúvidas de que em Guimarães o futebol se sentia de forma diferente, este ponto ficou saliente durante esta deslocação em peso (e de que maneira!). Mas que adeptos fervorosos! A equipa vimaranense quase conquistou Londres, mas os adeptos tiveram Londres aos seus pés.

Edwards abre o marcador aos nove minutos da partida, graças ao feliz cruzamento de Victor Garcia. O inglês voltou a casa com novas cores e provou que estava apto para a oportunidade que lhe tinha sido concedida, deixando o Emirates em silêncio. Preto e branco enchia as bancadas e os vimaranenses explodiam de felicidade. Aos 31’, sofre com um infeliz deslize de Miguel Silva que permitiu o golo de Martinelli ser inevitável. Perto do intervalo, Bruno Duarte surge e deixa os conquistadores em vantagem na primeira parte.

Anúncio Publicitário

A história tinha sido feita em Londres: o Vitória SC foi a primeira equipa portuguesa a vencer (ao intervalo) no Emirates Stadium!

Pépé entra e, com toda a genialidade do mundo, consegue marcar dois golos certeiros em questão de minutos. Acaba por decidir a partida e arranca um triunfo para o Arsenal FC., tornando-se o jogador um vilão inevitável! Um resultado infeliz perante aquilo que se sucedeu na partida. Os conquistadores eram merecedores de resultado melhor e de uma qualificação igualmente melhor, visto que, neste momento, se encontravam com um total nulo de pontos e com excelentes exibições.

Vitória, jogámos como nunca, perdemos como sempre…

Se, até ao momento, o Emirates Stadium era desconhecido e um sonho distante, agora, mais do que tudo, era algo possível e realizável, provado pelas forças do Vitória SC.

Um jogo intenso e belo com o melhor do futebol e dos adeptos, com direito a acerto de contas, no qual o gigante Arsenal FC é travado (ao contrário da primeira volta) pelo emblema do rei no Estádio Dom Afonso Henriques. Um dos auges do futebol português!

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES 

Arsenal FC – Emiliano Martinez (GR), Héctor Bellerín, Rob Holding, Shkodran Mustafi, Kieran Tierney, Maitland-Niles (Guendouzi, int.), Lucas Torreira, Joe Willock (Dani Ceballos, int.), Emile Smith-Rowe, Alexandre Lacazette (Pépé, 75’) e Gabriel Martinelli.

Vitória SC – Miguel Silva (GR), Victor Garcia, Frederico Venâncio, Edmond Tapsoba, Florent Hanin, Mikel Agu, Denis Poha, André Almeida (Pêpê, 64’), Davidson (Rochinha, 86’), Marcus Edwards (André Pereira, 70’) e Bruno Duarte.

Artigo revisto por Mariana Plácido