A mais completa colecção de memórias de Alexander Chapman Ferguson – Alex Ferguson – A Minha Autobiografia – é o livro lançado em 2014, edição final e completa da vida e carreira do mais titulado treinador de sempre.

Nascido nos subúrbios de Glasgow no último dia de 1941, Alex sempre se definiu orgulhoso das suas origens modestas no distrito de Govan, distrito operário onde fomentou as suas qualidades humanas. A honestidade e a força de carácter, características intrínsecas à sua personalidade e que demonstrou durante toda a sua carreira, foram a base de um talento inesquecível na gestão de egos e na sua capacidade em impor a autoridade nas mais diversas circunstâncias.

A descrição de todas as etapas enquanto homem, atleta amador e profissional e, finalmente, treinador, são-nos explicadas ao pormenor de forma articulada e fluída, na qual todos os detalhes vitais nos são transmitidos com uma precisão histórica infalível.

Desde os tempos de futebolista profissional no Dunfermline AFC e no Rangers FC, onde chegou a internacional escocês, até ao último jogo na liderança do Manchester United FC: o 5-5 frente ao West Bromwich Albion FC é apontado por ele como o resultado que melhor ilustra uma carreira ímpar e um estilo inconfundível, no qual a racionalidade muitas vezes se deixava subjugar pela força das emoções.

«If I needed a result to epitomise what Manchester United were about it came to me in game No. 1500: my last. West Bromwich Albion 5 Manchester United 5. Wonderful. Entertaining. Outrageous. If your were on your way to watch Manchester United you were in for goals and drama. Your hear was in for a test. I could have no complaints about us throwing a 5-2 lead agains West Brom within nine minutes. I still went through the motions of expressing my annoyance but the players could see right throught it. I told them: ‘Thanks boys. Bloody great send-off you’ve given me!» p. 11

Lê-se nas ‘Reflexões’ e é a introdução perfeita para a descrição de uma carreira e de uma personalidade que faz parte da história do jogo, por mérito próprio. Desde os 32 anos, quando começa no East Stirlingshire FC, que a sua faceta disciplinadora foi sentida. Um autêntico sargento.

As aventuras, as peripécias e os sucessos do ícone maior dos bancos vistos à lupa
Fonte: Amazon

A imagem de pai carinhoso com temperamento instável foi o que possibilitou a transformação de grupos de jogadores em seguidores acérrimos da sua palavra: só assim se justifica a forma como pega no Aberdeen FC e os leva a intrometerem-se entre o poderio dos dois gigantes do costume, levando-os inclusive à glória europeia com a conquista da Taça das Taças.

Em Manchester, revolucionaria um clube, dar-lhe-ia identidade e seria a figura paternal de uma geração inesquecível de jogadores, a Class of ’92, assim chamada pela vitória na FA Youth Cup do mesmo ano: Gary e Phill Neville, Scholes, Giggs e Beckham, a estrela maior e a personalidade mais mediática até à consolidação de Cristiano Ronaldo na primeira equipa.

Ao português, dedica-lhe um capítulo completo – o oitavo de 25 -, o qual começa com a mais pertinente das afirmações: Cristiano Ronaldo was the most gifted player I managed.

A carreira é-nos apresentada em números no final da obra, onde se explica com todas as estatísticas, classificações e trajetórias europeias o percurso do jogador e do treinador Sir Alex Ferguson, pormenor que emprega ao livro o definitivo carimbo de ‘essencial’ na biblioteca de qualquer admirador.

Artigo revisto por Inês Vieira Brandão

Comentários