Alemanha’2006

Fonte: FIFA

Quando uma cabeçada se sobrepõe à final de um Mundial –     Zinedine Zidane, um portento com a bola nos pés, arte viva, daqueles homens que me tornou num apaixonado por bola, daqueles jogadores que se lembrou de agredir à cabeçada um adversário, em plena final de um Mundial, mas que mesmo assim… saiu perdoado.

Não vale a pena um relatório muito detalhado, já que quase todos devem ter percebido de que estou a falar de um dos mais famosos “rounds” do desporto mundial: Zidane vs. Materazzi.

O prolongamento decorria, em Berlim, quando o “maestro” gaulês, aparentemente do nada, virou-se para trás e desferiu um golpe de cabeça em Materazzi digno da mais brutal das lutas de ringue.

O Planeta Terra assistia chocado ao momento, àquela amostragem de cartão vermelho directo, ainda para mais no seu último jogo enquanto profissional.

Anúncio Publicitário

Não era justo, não fazia sentido, mais tarde Zidane argumentou que Materazzi lhe havia dirigido graves insultos, envolvendo a família do astro francês, mas o mal já estava feito.

Mas não importa, “Zizou”, uma carreira como a tua, enquanto futebolista e agora como treinador, nunca sairá manchada.

Quanto à final (pois, é que passou mesmo para 87.º plano), a Itália levou a melhor no desempate por penáltis, sagrando-se campeã mundial 24 anos depois.