O futebol está rendido a João Félix! É um craque promissor da sua geração, joga que se farta, desequilibra como ninguém, tem uma leitura e posicionamento de jogo excecional. Daí resultam as inúmeras comparações com os melhores do mundo, os recordes impressionantes e os golos.

A ascensão do n.º 79 permite a identificação destas caraterísticas, apesar de ser o golo mais facilmente percetível para o espetador comum. Nesta que é a temporada de estreia, já totaliza 12 tiros certeiros, como não se esperasse outra coisa do mágico do SL Benfica. Apesar de valioso – no fim de contas, é o que decide jogos! –, um golo é apenas o culminar de um lance, que passa por vários processos: a construção do próprio lance, o posicionamento, e a finalização, que não foram esquecidos nesta difícil e exigente escolha.

Três magos fazem o que melhor sabem: magia (SL Benfica 10-0 CD Nacional) – Que mais posso acrescentar a uma jogada que é perfeita? Mistura o entendimento já conhecido de Pizzi e André Almeida com a criatividade de João Félix, que não fica de fora deste autêntico truque de magia.

A defesa do Nacional não teve uma noite nada fácil, e apesar de este lance não ter dado golo devido a Kalindi se ter antecipado a Seferovic, os três envolvidos na jogada criaram uma sequência de passes e movimentações irrepreensíveis. Por esse motivo, não poderia deixar escapar este momento em claro. Tinha de ser referido especialmente quando falamos de João Félix. Agora sim, passemos aos golos!

Anúncio Publicitário