1º lugar – Pedro Proença

Pedro Proença foi eleito presidente da LPFP 5 meses após se retirar das arbitragens Fonte: Federação Portuguesa de Futebol
Pedro Proença foi eleito presidente da LPFP 5 meses após se retirar das arbitragens
Fonte: Federação Portuguesa de Futebol

Não há margem para dúvidas. O ex-árbitro da AF Lisboa, arbitrou duas finais da Taça de Portugal, duas finais da Taça da Liga e duas Supertaças e a Federação Portuguesa de Futebol classificou-o como o melhor árbitro da temporada 2010/2011. Para além disso, é também o árbitro português com mais currículo a nível internacional. Apitou a final do Campeonato da Europa de sub-19 em 2005, arbitrou também no Campeonato da Europa de sub-21 em 2009 e foi promovido à Categoria de Elite da UEFA em 2009/2010.

Em 2012, apitou a final da Liga dos Campeões e do Campeonato da Europa, tendo-se tornado no primeiro árbitro a arbitrar as finais de ambas as competições no mesmo ano. Nesse mesmo ano, seria considerado o melhor árbitro do mundo pela International Federation of Football History & Statistics (IFFHS). Arbitrou também na Taça das Confederações em 2013 e no Mundial de Clubes em 2014.

Anunciou a sua retirada dos relvados em Janeiro de 2015. Já pertenceu ao Comité de Arbitragens da UEFA e sucedeu a Luís Duque como Presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional. Mesmo tendo sido alvo de polémicas, Pedro Proença é um homem respeitado por todos os clubes e entidades futebolísticas do país.

Fonte foto de capa: Federação Portuguesa de Futebol

Comentários

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
Artigo anteriorGirabola: A Tragédia de Uíge
Próximo artigoFC Porto B 0-1 SC Freamunde: Tanta crueldade!
O Tiago é um jovem natural de Montemor-o-Novo, de uma região onde o futebol tem pouca visibilidade. Desde que se lembra é adepto fervoroso do Sport Lisboa e Benfica, mas também aprecia e acompanha o futebol em geral. Gosta muito de escrever sobre futebol e por isso decidiu abraçar este projeto, com o intuito de crescer a nível profissional e pessoal.                                                                                                                                                 O Tiago não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.