Terminado o mês de julho, e com um mês de mercado pela frente na maioria dos campeonatos europeus e do resto do mundo, chegou a altura de analisar aquelas que foram, até ao momento, as maiores “pechinchas” do defeso.

Se é certo que há valores astronómicos a ser movimentados, e que a inflação está cada vez mais presente no mundo do futebol, também é certo que ainda é possível contratar “bem e barato”.

O presente top elege os cinco melhores negócios do mês transato, com base nos valores de mercado dos jogadores, nas verbas pagas pelas suas aquisições e no papel preponderante que podem assumir nos novos clubes já esta temporada.