Na altura de entrada nas bancadas do Restelo, fomos à procura de mais testemunhos e eis que encontrámos uma adepta especial: a senhora Maria Isabel Silva com os seus 76 anos.

O contacto inicial foi complicado, pois a entrevistada recusou falar com o Bola na Rede, mas, mais uma vez a insistência “deu frutos”, e a recusa inicial tornou-se em aceitação do convite para contar a sua história com o Belenenses. Sócia há 27 anos, Maria contou que “foi o meu marido que me propus para sócia” e, desde aí, a família tornou-se toda adepta do Belenenses: “A seguir a me tornar sócia, o meu filho, a minha nora e os meus netos também passaram a ser sócios do Belenenses”.

Quando lhe pedimos para falar sobre um momento marcante, a senhora recordou duas finais em que o seu clube marcou presença e que tiveram desfechos totalmente opostos: “A primeira memória que me recordo é a final da Taça de 2007 frente ao Sporting, em que o meu marido estava hospitalizado e pediu para que o Belenenses ganhasse o ‘caneco’ e infelizmente não conseguimos vencer, sendo um enorme desgosto para mim. Também me recordo da final da Taça de Portugal em Futsal, em que conquistámos a prova frente ao Benfica em 2010, o que me deixou muito feliz”, sendo assim uma clara demonstração de que os apoiantes do Belenenses não ligam apenas ao Futebol, mas também às outras modalidades existentes (Futsal, Basquetebol, Andebol, Atletismo, Natação, Rugby, Voleibol e Triatlo).

Antes de dizermos adeus a esta simpática senhora, foi pedido para lhe tirarmos uma fotografia para colocar na reportagem, e aí voltou a recusa, mas desta vez era em tirar uma fotografia e a justificação para tal atitude foi engraçada: “Não quero tirar fotos, pois vou estragar a câmara!”. A persuasão foi novamente importante e lá conseguimos registar o momento. Muito obrigado pela ajuda cara senhora Maria Isabel Silva!

A senhora Maria Isabel Silva acompanha todos os jogos do “seu” Belenenses
Fonte: Guilherme Costa/Bola na Rede

O último entrevistado foi Bernardo Reis. Com 25 anos de sócio, o adepto falou do seu avô que “trabalhou no Belenenses como enfermeiro, massagista e fisioterapeuta durante cerca de 60 anos”, e isso influenciou-lhe a ser do Belenenses: “Desde criança que me lembro de vir ao Belenenses com ele e ganhei o gosto a este clube”. Além do seu avô, Bernardo recordou um episódio marcante com o antigo treinador brasileiro Marinho Peres: “Um dia, entrei com o meu avô e fui ao balneário ter com os jogadores, e o Marinho Peres, que é um treinador emblemático do passado do Belenenses, disse-me uma frase dum antigo conhecido do público português, o Raúl Solnado, que até hoje me ficou na cabeça que foi ‘Não é do Belenenses quem quer, é só quem pode’. A partir desse dia, comecei a viver mais o Belenenses e cada vez mais essa frase faz sentido para mim como adepto, pois sofremos bastante por amor a este clube histórico, tanto nos bons e maus momentos”.

Bernardo Reis recordou o treinador Marinho Peres
Fonte: Guilherme Costa/Bola na Rede

Comentários