logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

Japão jogadores Mundial

Mais surpresa, menos surpresa | Diário do Mundial #4

A rubrica Diário do Mundial é destinada a acompanhar, de forma diária, o Campeonato do Mundo.

Entrando na segunda metade desta jornada inaugural do Mundial, o dia começou com um jogo em que, embora a Croácia tenha sido mais perigosa, ninguém conseguiu desfazer o nulo. Mais tarde, na segunda partida do dia, a inaugural do grupo E, a Alemanha e a grande maioria dos adeptos foi surpreendida com a vitória do Japão que, no último quarto de hora, conseguiu inverter o resultado e somar três pontos. Logo a seguir, ainda no mesmo grupo, a surpresa estará mesmo nos números que foram praticados, já que a Espanha venceu por sete(!) golos sem resposta. Para terminar o dia em beleza, uma vitória enganadora da Bélgica que, na maioria do jogo, esteve submetida a uma seleção do Canadá que podia, claramente, ter conquistado outro resultado.

 

O JOGO DO DIA

Mais um dia de Campeonato do Mundo e, ao que parece, mais uma chance para um dos favoritos ser surpreendido.

Após a derrota da Argentina, foi a vez da Alemanha tropeçar na jornada inaugural da competição, mesmo que, tal como o seu adversário na final do Mundial 2014, tenha tido oportunidades suficientes para, antes de ser surpreendido, aumentar a margem no marcador, sendo que a mesma lhe traria tranquilidade e, por consequência, reduziria as possibilidades da seleção nipónica.

A verdade é que, após uma primeira-parte em que a Mannschaft primou por um tipo de futebol mecanizado, assumindo uma postura segura na partida, suportada por jogadas altamente criteriosas, a margem mínima residia no marcador, tendo a mesma sido alcançada depois de Ilkay Gundogan ter convertido uma grande penalidade.

No regresso ao relvado, o Japão, assumindo que não poderia jogar “olhos nos olhos”, foi procurando sair com velocidade, tentando surpreender a seleção adversária que esteve, na maioria do jogo, instalada no meio campo adversário. Para além disso, muito mérito para Hajime Moriyasu que, para além de ter colocado em campo dois jogadores que acabaram por fazer a diferença no marcador (Ritsu Doan e Takuma Asano), teve a capacidade de analisar bem o jogo e colocar no tabuleiro as peças que lhe permitiram mexer com o jogo e aproximar a sua equipa do sucesso, tendo tudo início na decisão de alterar o sistema de jogo nos segundos quarenta e cinco minutos.

Após este resultado, vida difícil para a equipa tetracampeã do mundo que, para encarar as suas possibilidades de apuramento com otimismo, terá de entrar para a segunda jornada frente à Espanha com um só pensamento: vencer! Do outro lado, o Japão encarará a próxima partida com a possibilidade de, quem sabe, garantir já o apuramento para os oitavos de final.

 

A FIGURA DO DIA

Por ser injusto destacar apenas um jogador, quando a “chave” esteve na capacidade coletiva, a Espanha terá de ser a nossa opção. Embora fosse, à partida, claramente favorita frente a uma Costa Rica que está bem longe de ter a qualidade de 2014, a realidade é que poucos esperariam um resultado tão desnivelado que, para além de evidenciar as fragilidades na equipa costa-riquenha, dão foco ao poder desta seleção espanhola que, no mínimo, chamou à atenção pela qualidade do seu jogo, mais uma vez baseada na posse, sendo essa a arma principal para gerar espaços que, ainda que sejam mínimos, serão explorados por jogadores de enormíssima qualidade.

 

O FORA DE JOGO DO DIA

Embora a Costa Rica fosse uma opção válida pela debilidade apresentada, não podemos deixar de optar pela Alemanha visto que, ao contrário da seleção que foi goleada, o conjunto de Flick tem outras ambições e, por consequência, outra exigência associada, estando ao nível da mesma a qualidade das opções que tem ao seu dispor. Assim, apesar de ter tido momentos de qualidade na sua exibição, será sempre o resultado que ditará o futuro na competição e, para já, os germânicos não somaram pontos.

A CURIOSIDADE DO DIA

A vitória da Espanha por 7-0 frente à Costa Rica faz-nos viajar até ao Mundial 2010 na África do Sul já que, desde a vitória de Portugal por sete golos sem resposta frente à Coreia do Norte, não se tinha verificado uma diferença de golos tão elevada.

Para além deste facto, convém recordar que, quando aconteceu esse resultado, a competição terminou com a seleção espanhola a erguer o título pela primeira vez. Será que, em 2022, trocaremos de papel e ficarão eles com a goleada e nós com a vitória na competição?

RESULTADOS 

GRUPO E

Alemanha 1-2 Japão

Espanha 7-0 Costa Rica

 

GRUPO D

Marrocos 0-0 Croácia

Bélgica 1-0 Canadá

 

Artigo com a opinião de Orlando Esteves, comentador BnR TV.

O Bola na Rede é um órgão de comunicação social desportivo. Foi fundado a 28 de outubro de 2010 e hoje é um dos sites de referência em Portugal.

O Bola na Rede é um órgão de comunicação social desportivo. Foi fundado a 28 de outubro de 2010 e hoje é um dos sites de referência em Portugal.

[my_elementor_post_nav_output]

FC PORTO vs CD TONDELA